quarta-feira, 5 de maio de 2021

VERDADES IMPROVÁVEIS (2)

 



Na ausência de palavras
desenhei uma flor encarnada
neste chão de marés

soltei-lhe as pétalas

cadenciadas
silvestres
musicais

agarrei o vento pelas crinas
esculpi 
um grão de areia
para a vida despontar
num sopro
e a luz se libertar
pelas fissuras das pedras

convoquei pássaros
e outros silêncios

escrevi de novo
verdades improváveis

Inesperadamente
hoje não quis salvar o mundo


Eufrázio Filipe


27 comentários:

" R y k @ r d o " disse...

POEMA BRILHANTE de ler
.
Cumprimentos poéticos
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

Janita disse...

Não querendo o Poeta salvar o mundo, salvou meio mundo, com estas palavras improvavelmente prováveis e belas.

Um abraço.

carlos perrotti disse...

Gran poema. Sensible, inspirado...

Abrazo!!

Lígia Casaca disse...

Gostei tanto dessas verdades improváveis. Um prazer...! Uma delícia...!

vieira calado disse...

Olá!

Belo poema. Gostei muito!

Saudações!

Maria João Brito de Sousa disse...

Belíssimo poema, Eufrásio!

Forte abraço!

Jaime Portela disse...

Mas vale sempre a pena tentar...
Excelente poema.
Continuação de boa semana, caro Eufrázio.
Abraço.

Rosa dos Ventos disse...

E assim surgiu a Primavera!
Uma maravilha!

Abraço

Cidália Ferreira disse...

Fantástico! Obrigada pela partilha :))
.
O pouso da ousadia...
.
Beijos
Uma excelente tarde!

teresadias disse...

A um mundo de incertezas só a poesia o salva.
Beijo, saúde.

maceta disse...

Sabe bem explorar os meandros das palavras...

abraço

solfirmino disse...

Muito bonito o poema. Bravo!

Mário Margaride disse...

Excelente poema!
Obrigada, pela visita.

Abraço e feliz fim de semana!

José Carlos Sant Anna disse...

As verdades improváveis
vigiam as horas
do outro que não as vê

Abraço, caro poeta

A Paixão da Isa disse...

que bonito poema bravo bjs saude bfs

LuísM Castanheira disse...

cor, som, odor e ... a flor.
em tudo, poesia sem palavras.
e venham os pássaros apreciar.
Abraço

AC disse...

Tem razão, meu caro, Eufrázio. O mundo faz-se com aquilo que fazemos por nós.

Grande abraço

Sandra Sofia Gonçalves Afonso disse...

Lindo e maravilhoso poema, gostei imenso de o ter lido, fizeste uma publicação super maravilhosa!! Desejo-te continuação de um bom mês de Maio, tudo de bom para ti, muita saúde e muita paz, muita alegria na tua vida, muitos beijinhos e fica bem!!

Graça Pires disse...

Não podemos salvar o mundo se não nos salvamos a nós. É um facto, meu Amigo.
Olha, uma pétala da tua flor veio pousar na minha janela...
Uma boa semana com muita saúde.
Um beijo.

A.S. disse...

Excelente poema.
Em boa verdade, o mundo precisa de ser salvo!

Um abraço!

Rita Freitas disse...

Pois, um belo poema num mundo improvável.
Abraço

Agostinho disse...

Os Poetas não salvam o Mundo, é evidente
e persistem sem cheta.
O que nos deixa de alpergatas são os messias, videntes,
ilusionistas e outros artistas certificados
todos virtuosos em milagres de espelho
E reservam para si a parte de leão do melão
a título de honorários
Tudo isto escrevo por causa da fotografia.

O Poema?
Pois, não salva, mas faz muita diferença.
Tomai e comei!
Abraço.

Canto da Boca disse...


Cada estrofe do poema, desenhou as mais belas imagens na nossa alma!

Texto impecável, caro Eufrázio!

:)

lis disse...

_ 'assim respira a mão enquanto escreve'.
E, salva!

abraço, Eufrázio

Ailime disse...

Belíssimo poema!
As pétalas da flor continuam soltas!
Beijinhos e saúde.
Ailime

saudade disse...

Excelente poema, boa semana
Saudade

Parapeito disse...

Pois é...
Temos em primeiro de nos salvar a nós.
Hoje não...
amanhã talvez...porque é preciso fazer acontecer.
Brisas doces *