domingo, 16 de junho de 2019

NA PAUTA DAS PALAVRAS






Quando reivindico um sopro de musica
para o teu andar de ancas vagaroso
sobre a nudez branca das dunas
é para despertar o sabor do vento
desfolhar os teus cabelos em partículas

um futuro quase divino
para as aves marinhas perfumarem
as clareiras solares mais íntimas deste espaço
um porto seguro para o teu corpo
jangada efémera de cristal

Quando reivindico para ti um sonho verdadeiro
brotas do chão como um pomar de faúlhas
dás de beber a todos os pequenos rituais
como se fôssemos uma lenda
em viagem sinuosa pelo tempo

És a pátria em alvorada que navego
e me desprende
o acesso intangível às brevíssimas papoilas
grão de areia esculpido com amor

mãos sedutoras
cúmplices
na pauta das palavras



eufrázio filipe

13 comentários:

Rogério G.V. Pereira disse...

Por vezes, pausas são silêncios
Outras vezes são poema

Com sopros de musica
que se desprendem das palavras

jrd disse...

Um poema espantoso!
Grande abraço Poeta

Genny Xavier disse...

A leveza sinuosa dos sonhos que desperta versos de lirismo cheio de graça e vigor...belos versos!

Boa semana que logo se inicia...
Genny

teresa dias disse...

"És a pátria em alvorada que navego
e me desprende
o acesso intangível às brevíssimas papoilas
grão de areia esculpido com amor

mãos sedutoras
cúmplices
na pauta das palavras"

MAGNÍFICO! Parabéns, poeta!
Beijo.

Graça Pires disse...

"Flagrante delito nas teias do prazer"... O teu poema é muito inspirador meu Amigo. Quase se ouve a música dessa pauta…
Uma boa semana.
Um beijo.

Larissa Santos disse...

Adorei o poema:))

Hoje:- Quando a minha alma naufragar...

Bjos
Votos de uma óptima Segunda - Feira.

Teresa Durães disse...

Uma ode muito bonita!

Lua Azul disse...

Na pauta das palavras escrevemos tantos sentidos...
Tenho andado ausente e agora vai ser mais assim, porque ando sem inspiração e também não consigo acompanhar as postagens dos blogues todos que sigo. Pelo facto peço desculpa. Mas é com prazer que venho aqui. Também peço desde já desculpa por deixar esta mensagem igual para todos os blogues.
Boa semana!

maceta disse...

Só quem os escreve (os versos) é que sabe bem a essência do poema...

abraço

Kodak Khrome disse...

não sei dizer em palavras
o saber do poema

e digo ainda bem que sim
existem os poetas

Ailime disse...

"Na pautas das palavras" belíssima poesia numa sinfonia de amor.
Bjs
Ailime

Ana Tapadas disse...

Muito belo, este poema!
Beijinho

Olinda Melo disse...


Sons e silêncios na pauta da música e da vida.
Importante sabermos interpretá-los e chegarmos
à cumplicidade da pauta das palavras.

Gostei muito do poema.

Abraço, caro Eufrázio.

Olinda