terça-feira, 7 de abril de 2015

A FINGIR DE PÁSSAROS



                                        publicado no PRESOS A UM SOPRO DE VENTO



A minha escarpa
tem uma janela
escancarada para o mar

mesmo por sobre
barcos de passagem
latidos de cães
e metáforas

Neste sítio fustigado
onde nidificam
ventos e relâmpagos
ouvi um grito
em carne viva
mais real que os verdadeiros

soltei-o
e as palavras voaram
a fingir de pássaros



Eufrázio Filipe


24 comentários:

Elvira Carvalho disse...

E as palavras voaram
a fingir de pássaros.

Muito bom.
Um abraço

vendedor de ilusão disse...

Poesia expressiva, assim como é o voo dos pássaros.






JANE GATTI disse...

Palavras que voam constroem Poesia. Abraços, boa semana.

Anónimo disse...

passei por aqui
não somos belos e malditos
estamos noutro sítio

assim teve de ser...
bom dia
não sei dizer poesia
como tu.
kiss

Silenciosamente ouvindo... disse...

E os pássaros conseguem uma
liberdade que por vezes nos
faz falta.
Um abraço amigo.
Irene Alves

Marta Vinhais disse...

Estão livres e voam no Vento....
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

Almma disse...

Que voo lindo...

Ana Tapadas disse...

Expressivos pássaros que não temem...

Bjs

jrd disse...

Quando o grito se solta as palavras voam livres.

Um abraço

Lucy Mara Mansanaris disse...

Forte e lindo, parabéns pelo labor.

Agostinho disse...

Felizardo aquele que tem
Que tem uma escarpa assim
De onde em exercícios de
Primeva liberdade
Solta salta grita
Voos de infinito.

Majo disse...

~
~ ~ ~ Um indubitável grito libertador...

~ As palavras partiram em súbita debandada,
mas voltaram e, doces, deram forma a um poema,
único, raro...
~ A fingir de pássaros...

~~~Bj.~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
~ ~ ~

© Piedade Araújo Sol disse...

os pássaros devem ter tido um voo gracioso e inimitável.

bom fim de semana.

beijo

:)

Janita disse...

Quisera ter a sua capacidade de saber soltar um grito, que levasse em voo, até ao infinito, um bando de palavras vivas, aladas e mareadas.

Mas, Deus não quis!...

Beijos

Manuel Veiga disse...

pássaros que ousam o voo ...
no sopro do vento.

forte abraço Poeta.

Graça Pires disse...

Do cimo da escarpa as palavras possuem o fascínio de ter asas...
Um beijo, meu amigo.

tb disse...

Há palavras que possuem asas e voam. Como estas aqui. :)
abraço amigo.

Fê blue bird disse...

Mesmo nos sítios mais inóspitos as palavras voam livres.
Lindo como sempre!
beijinho

Ailime disse...

Lindo!
E as palavras voam livres como os pássaros!
Beijinhos,
Ailime

Olinda Melo disse...


Já tive uma janela assim que dava para o mar. De noite o bramido das ondas. De dia os pássaros esvoaçavam irrequietos e eu pensava: hoje vai fazer vento na certa. Via ao longe o ilhéu dos pássaros e esperava ansiosamente o dia azado em que pudesse navegar para além dele.

Abraço

Olinda

GarçaReal disse...


As palavras quando belas também voam como o belo voo dos pássaros.

Bjgrande do Lago

Andrea Liette disse...

Existe sempre uma entrega em cada poema que me parece liberta num sopro de vento. Lindo.Um beijo.

Odete Ferreira disse...

Ajudar a voar, é suprema dádiva...
Belo!
Bjo, Filipe :)

Ailime disse...

E assim se liberta a poesia!
Muito belo!
Beijinhos,
Ailime