sexta-feira, 15 de novembro de 2019

INTEMPORAIS





No Outono não há verdadeiras tempestades
apenas caem línguas das árvores
ao sabor do vento
folhas exauridas no chão que pisamos

No Outono canto
o ciclo desigual das marés
oculto no coração das pedras
o sol exposto
e branco dos teus cabelos

As verdadeiras tempestades
intemporais
abrem-se em flor
simplesmente para ver
um relâmpago nos teus olhos


eufrázio filipe

18 comentários:

saudade disse...

Por vezes as tempestades intemporais servem apenas para nos dar um safanão...
Bom fim de semana
Beijo

Marta Vinhais disse...

A verdadeira tempestade é a paixão que se abre nos corpos...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

Boop disse...

Outono - a minha estação favorita!
Gosto das cores
Dos cheiros
Da temperatura
Do vento
E daquilo de bom que vem com os cabelos brancos.

Elvira Carvalho disse...

A maior e mais intemporal tempestade, é aquela que cada um carrega dentro de si. Tão eterna quanto a vida.
Abraço e bom fim de semana

Rogério G.V. Pereira disse...

Um dia me perguntaram
se eu gostava
de uma tempestade verdadeira
respondi
que sim
quando ainda não era chegado teu poema

Pedro Luso disse...

Caro Eufrázio Filipe gostei deste seu poema, inspiração do Outono. Parabéns!
Bom final de semana.
Um abraço.

Larissa Santos disse...

Poema muito bom. Bom dia :))

Hoje -:-Sentimentos entrelaçados.

Bjos
Votos de um óptimo Sábado:))

manuela barroso disse...

Como gostei destas tempestades que se abrem em flor!
Esqueci as línguas de Outono.
Beijinho, EF!

Jaime Portela disse...

Há tempestades assim, com relâmpagos floridos e sem som...
Magnífico poema, parabéns pelo talento e inspiração.
Caro amigo, um bom fim de semana.
Abraço.

jrd disse...

Mesmo sem tempo há tempestades perfeitas.
Grande abraço poeta

Janita disse...

Quando se vêem relampejar os olhos de alguém, é sinal de que a tempestade se instalou no coração desse alguém. Ainda que vejamos o sol surgir, por entre as nuvens.
É essa a verdadeira tempestade intemporal.

Abraço, Poeta.

Teresa Almeida disse...

Aplausos, Arável.

Beijinho.

Graça Pires disse...

Temporais com flores e relâmpagos no olhar. Muito belo, Poeta!
Uma boa semana.
Um beijo.

Ana Tapadas disse...

Como é lindo este poema, com a beleza de um Outono vivido!

Beijo

Ailime disse...

Um poema lindo!
Admiremos a beleza do outono em cada sinal, em cada mescla de vida, enquanto os relâmpagos faiscarem e iluminarem os olhares.
Beijinhos,
Ailime

José Carlos Sant Anna disse...

Gosto desta melodia do Outono!
Um abraço, Poeta!

silvioafonso disse...

É muito gostoso voltar à sua
página.
Um abraço.

MJ FALCÃO disse...

Gostei. O Outono é a minha estação preferida...