domingo, 20 de outubro de 2019

UM PÁSSARO NOS MEUS DEDOS






No rescaldo de um fósforo
ainda ardiam palavras
por sobre as águas

em viagem
a pensar por todos os póros
revi-te apócrifa
a tecer um pássaro
nos meus dedos

pequenos amplos gestos
no velho cais
contra todos os destinos

e se tivéssemos um barco
seria inútil


eufrázio filipe

terça-feira, 15 de outubro de 2019

SOLTÁMOS OS BARCOS







No regresso à velha casa
respirámos fundo
nas paredes do cais

lá  estavam organizados
numa pauta de sons
silvos sulcos lábios

timbres no desassossego das marés
a desvendar como se movem
águas margens  sonhos

No regresso à velha casa
beijámos pedras sedimentos
soltámos os barcos

e partimos



eufrázio filipe

terça-feira, 8 de outubro de 2019

PRISIONEIROS DO SONHO






Como se fôssemos livres
e somos
para lá dos limites
num traço a pulso
esculpido no pomar das marés
dormem anjos
a fingir de pássaros

desenham barcos
para que tudo aconteça
passo a passo
por sobre as águas
respiram pelas narinas do vento
incansáveis
sopram contra o vento 

prisioneiros do sonho



eufrázio filipe
(revisitado)

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

FREITAS DO AMARAL PAZ À SUA ALMA





Em 1974 Freitas do Amaral disse que não era um democrata. 
Discípulo do regime da ditadura, fundador do CDS votou contra a Constituição após o 25 de Abril. 
Recuperado pelo PS há quem lhe chame hoje, no dia da sua morte, um fundador da democracia. 
O futuro pode ser surpreendente quando se tentam branquear memórias. 
Paz à sua alma


quinta-feira, 22 de agosto de 2019

PS DISPARA ATÉ NOS PRÓPRIOS PÉS


 


O PS mesmo com os benefícios da "geringonça" sempre se aliou às direitas políticas para definir a sua estratégia. 
Em pré-campanha eleitoral na obsessão incontida pela maioria absoluta dispara em todas as direcções - até nos próprios pés. 

eufrázio filipe