segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

AMPLAS CLARIDADES






A última folha do Inverno
em pleno voo
cansada de todos os brilhos
libertou-se
quase efémera
num dédalo de luz

Ariadne desvendou os seus contornos
na inocência dos espelhos
celebrou por instantes
amplas claridades
e os barcos
para afagarem a sua nudez
se fizeram ao mar


Eufrázio Filipe

domingo, 10 de fevereiro de 2019

PALAVRAS DESPRENDIDAS


                                                  Siegfried Zademack




Não fosse
o azul dos céus e dos mares
não teria esculpido um verso
nas águas um traço
construído um barco
no imaginário dos pássaros
contra o vento 

o poema não teria gestos
muito menos um caminho
a dardejar nos mastros

palavras desprendidas
mais leves que o voo
nos teus lábios


Eufrázio Filipe


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

UMA NESGA DE MAR


                                             magritte



Andam por aí
a construir barragens
contra as águas dos rios

mas no cais da minha aldeia

uma nesga de mar

por entre mastros ancorados
desenhou um pássaro
para voar



eufrázio filipe
"chão de marés"

domingo, 27 de janeiro de 2019

ONDE VIAJO





Há um sulco invisível
nas águas
onde viajo
e me transformo



eufrázio filipe

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

SOLTAR OS PÁSSAROS






Os cães choravam em silêncio
e eu não sabia porquê

pensei no pobre limoeiro a afundar-se
lá onde nidificam toupeiras
ao entardecer
na estrela persistente
que viceja à noite no portão
nos olhos claros de um certo azul
que ilumina a casa
no desfolhar ensombrecido
das roseiras

vasculhei tudo
invadi searas proibidas
até ao mais íntimo da pele
pó sombras sonhos

perguntei
quando desaguas?

e tu desaguaste à janela
a marejar entristecida

e eu não sabia porquê

Foi quando os cães se levantaram
para soltar os pássaros


eufrázio filipe