terça-feira, 2 de julho de 2019

CADEIRAS VAZIAS





Em cardume
nos olhos dos peixes
lá estavam os pescadores

Na véspera dos relâmpagos
e outros afectos
dulcíssimos corações
clareavam as noites
e nós só podíamos fazer 
o que fizémos

sentámos à mesa
os ausentes
levitámos em voz alta
o sussurro das marés
recolhemos metáforas
e algumas estrelas
no chão das águas

soltámos um grito

celebrámos as cadeiras vazias


eufrázio filipe
(reconstruido9

16 comentários:

Boop disse...

Da importância de dar lugar às ausência
(este poema é quase psicoterapeutico/picodramático)

Larissa Santos disse...

Poema adorável:))

Hoje:-Castelos no ar...arco iris esplendoroso .

Bjos
Votos de uma óptima Quarta-Feira.

Ailime disse...

Belíssimo poema!
Cadeiras vazias cheias de memórias.
Beijinhos,
Ailime

Agostinho disse...

Reservadas as cadeiras um grito convocou ausentes como outrora, ainda ganapos, eram intimados os treslidos em correrias levantavam voo na imitação dos pássaros.
O Poeta põe-nos a fazer o pino no exercício da leitura. Belo poema.
Abraço.

teresa dias disse...

Belíssimo grito de celebração.
Gostei!
Beijo.

Gracita disse...

Os ausentes são sempre lembrados com carinho
Belo lirismo neste teu poema
Um abraço

Anónimo disse...

Uma celebração aos que não estão!

Anónimo disse...

(gosto de saber que ajudou a construir a natureza, infelizmente sou de informática, só a destruí)

saudade disse...

Tanto que essas cadeiras podem contar. Até mesmo vazias.
Beijo

Olinda Melo disse...


Os pescadores: homens por vezes esquecidos na sua faina e nos seus dramas. A eles ligados, as mulheres que vivem a inquietação e por vezes choram a sua perda. Mais ontem que hoje? Não sei. Talvez a cada tempo o modo como os problemas se apresentam.

Caro Eufrázio, gostei muito do seu poema. Para mim, focou uma realidade nem sempre lembrada.

Abraço

Olinda

Kodak Khrome disse...

Take a seat please
no dizer das cadeiras
ao analisar o tráfego
Beijo

Justine disse...

Aceitar as cadeiras vazias é uma aprendizagem, uma necessidade, uma pacificação.
Muito bom, o teu poema

Graça Pires disse...

Cadeiras vazias insinuando viagens da memória…
Mais um belíssimo poema, meu Amigo.
Uma boa semana.
Um beijo.

Mulheres 4 estações disse...

No aparente vazio, se guarda muitas lembranças.

Ana Tapadas disse...

O vazio que nos preenche de afectos!
Belíssimo.

Beijinho, amigo.

© Piedade Araújo Sol disse...


e as cadeiras vazias

e que por vezes estão (ficam) cheias de memórias

brilhante poema

beijinhos

:)