domingo, 10 de dezembro de 2017

ARTESÃO DE METÁFORAS





Nas margens do rio
onde habito
respiram pautas desertos
retratos íntimos de flores
a preto e branco

repousam mãos famintas

Nas margens deste rio
quando a noite amanhecida
não dorme
ouvem-se pêndulos vagares
cadenciados
agitam-se os dedos

o tempo ousado dos poetas
que não eu
artesão de metáforas

No fulgor das águas
desprendo-me
a profanar metáforas
para ver mais claro
o teu corpo antigo baloiçar
nas paredes da casa


Eufrázio Filipe
"Chão de claridades"


17 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Tenho o teu chão
sempre à mão

(pág. 241)

teresa dias disse...

Belo poema, senhor "artesão de metáforas".
Abraço.

Gil António disse...

Pura e doce fantasia.
.
Hoje
Margens de sedução de branca espuma
.
Deixando um abraço humilde e poético.
Bom dia. Domingo feliz
.

Agostinho disse...

"Ouvem-se pêndulo vagares
cadenciados
agitam-se os dedos"
e
"desprendo-me"!
vagueando em ritmos outros,
free...

Abraço, Poeta.

AC disse...

Artesão de metáforas, participante muito activo nas coisas da vida...
Muito bem, Eufrázio!

Abraço

deep disse...

Artesão de belas metáforas.

Bom domingo. Bj

Cidália Ferreira disse...

Adorei ler =)

Beijo e uma noite feliz.

manuela baptista disse...

antigo é o baloiçar, o rio e as paredes da casa

um abraço

Graça Sampaio disse...

É que os poetas são mesmo artesãos de metáforas... Elas é que, tontas, por vezes, vão ter a mãos que não as sabe agarrar...

Beijinho.

Teresa Durães disse...

As lembranças oblíquas que nos dão o presente

Graça Pires disse...

"No fulgor das águas
desprendo-me
a profanar metáforas
para ver mais claro
o teu corpo antigo baloiçar
nas paredes da casa"
Magnífico, meu Amigo!
Uma boa semana.
Um beijo.

Boop disse...

Artesão,
Obrigada pela visita que proporcionaste ao meu próprio rio.
Porque as metáforas têm esse poder, de nos transportar para as nossas referências.
Visitei o teu, e o meu, rio, as tuas e as minhas histórias.
:)

Diana Fonseca disse...

São margens que reconhecem tanto.

saudade disse...

E que belas metáforas...
Adorei ler..
Beijo de...
Saudade

Olinda Melo disse...


É bem o retrato deste nosso amigo.
Por aqui, embarcamos nas metáforas
e assim analisamos o mundo à lupa.

Abraço, Mar.

Abraço

Olinda

© Piedade Araújo Sol disse...

que nunca as metáforas sejam profanadas

e que as paredes da casa, sejam memórias de poesia

bom fim de semana.

beijinhos

:)

LuísM Castanheira disse...

que os rios encham, sem transbordar
e as águas sejam límpidas, a saciar.
o chão agradece.
abraço