terça-feira, 7 de novembro de 2017

ROSA FOLHEADA






Amanheci
a desenhar
o teu corpo
a desfolhar
uma rosa

porque não uma rosa?

todas as flores 
se desfolham

também tu Rosa


Eufrázio Filipe
editora Temas originais 
Para lá do Azul


17 comentários:

Boop disse...

Que bonito!
:)

(a arte de tudo dizer em poucas palavras)

Sandra Louçano disse...

Gostei muito do seu poema singelo que desfolha muita sensualidade.
Fica um beijo com estima.

Janita disse...

Acho que esta Rosa ficaria melhor se o poeta/desenhador, a não desfolhasse mais...
A parte desfolhada, está com ar de muita fartura...

Beijos desenhados com parcimónia.

:)

Anónimo disse...

nem todas...
podem retirar-lhe uma sépala,
mas não lhe chegam aos estames, nem aos carpelos!

Diana Fonseca disse...

Palavras simples mas lindíssimas.

Cidália Ferreira disse...

Hummm profundo!!


Beijinhos e um dia feliz.

© Piedade Araújo Sol disse...

e ficam as pétalas
e o aroma a pairar

sensual e bonito

gostei!

:)

bettips disse...

Há os silêncios,
nos desenhos, de palavras.

Marta Vinhais disse...

E fica o momento... a memória... o sorriso...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

Elvira Carvalho disse...

Uma rosa desenhada, desfolhada, e... amada?
Abraço

Olinda Melo disse...


Boa pergunta a da Elvira.
Faz sentido. :)

Abraço

Olinda

Teresa Durães disse...

Lindo poema!

Agostinho disse...

Um suspiro
Entre pétalas.

Abraço.

Teresa Almeida disse...

Este poema desenhou-se para lá de todos os azuis. Mágico.

Beijo.

mitro disse...

Poetas dizem-no sempre melhor, mesmo com palavras simples.

Menina Marota disse...

... e perfumada?

Ailime disse...

Rosa desfolhada e amada.
Muito belo.
Beijinhos,
Ailime