quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

UMA FLOR VERMELHA NAS PAREDES DO CAIS





Não sei quem és
mas pelos gestos vieste por bem
rasgar o vento com as mãos
a neve dos meus cabelos
e eu cansado de florestas apócrifas
das palavras em bando
comecei a plantar árvores
vi os pássaros regressarem
em acordes
a luz das noites que não dormem

na partilha de horizontes
o amor é revolucionário
voa nos mastros mais altos
garatuja búzios de sons
intervém por causas
muito para lá das utopias
e se levanta resiste
ao pôr do sol
mesmo que os barcos entristecidos
estilhacem
nos espelhos da água
algumas pedras com vida por dentro

registo por um eterno instante
o ar que nos move
pinto com a boca
uma flor vermelha
nas paredes do cais


Eufrázio Filipe

(de novo a partilhar este poema)



21 comentários:

Alexandre de Castro disse...

Só as flores vermelhas são verdadeiras.
Abraço, em tempo de Congresso.

Rogerio G. V. Pereira disse...

"na partilha de horizontes
o amor é revolucionário"

na partilha

Marta Vinhais disse...

Porque necessitamos de alegria para sorrirmos...e encontrarmos novamente a luz...
Lindo..
Beijos e abraços
Marta

LuísM Castanheira disse...

...e assim todas as paredes são indeléveis à paisagem...do olhar.

Agostinho disse...

Chega o tempo grisalho de neve
Ter alguém que tire a neve
do grisalho é sempre uma benção
pintada no vermelho de paixão
num qualquer cais de arribação.

Grande fôlego mostra o Poeta.
Abraço.

© Piedade Araújo Sol disse...

e fica para a eternidade a flor vermelha no cais mesmo que o sal lhe leve a cor ...

beijinho

:)

rosa-branca disse...

Lindo poema que gostei muito. Ainda que a flor murche será sempre flor até ao fim. Beijos com carinho

Teresa Almeida disse...

Essa rosa passou a ser o farol do cais.
Beijinho.

manuela baptista disse...

há dias de sol, apesar da chuva

este poema é muito bonito

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, o amor revolucionário, bons sentimentos e carácter, evolução para a justiça, o poder do trabalho, tudo que é justo e bom é vermelho.
Poema é lindo e objectivo.
Bom fim de semana,
AG

jrd disse...

De novo a aceitar a partilha deste poema espantoso.
Abraço fraterno

Fê blue bird disse...

Fez bem em o partilhar de novo, pois é um belo poema de amor e cor.

Um beijinho

Silenciosamente ouvindo... disse...

Um bom poema para o assunto principal
neste fim de semana.
Abraço, amigo.
Irene Alves

redonda disse...

Gostei
(e agora não vou mais esquecer o nome do autor e saber de quem é :)
um beijinho e uma boa semana

Zilani Célia disse...

O AMOR, EM SUA MAGNITUDE, TEM VIDA PRÓPRIA, COMANDA A NATUREZA E NOSSOS CORAÇÕES.
LINDO DEMAIS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

graça Alves disse...

Belíssimo!
Adoro!
É isto a poesia, a emoção trabalhada!
bj

Graça Pires disse...

Rasga o vento com as mãos e deixa que a flor vermelha permaneça no teu peito...
Um belíssimo poema, meu Amigo.
Uma boa semana.
Beijos.

Maria Rodrigues disse...

E quando o amor chega a vida ganha cor e alegria.
Maravilhoso poema
Um abraço
Maria

Majo Dutra disse...

Um louvor muito belo a um amor marítimo
de pássaros azuis; com sabor a vermelho...
Beijo Poeta ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Odete Ferreira disse...

Quando o amor se respira nos versos, o poeta é maior...
Bjo, amigo :)

Cristina Cebola disse...

Gosto dos aromas que aqui se respiram...