sexta-feira, 27 de maio de 2016

A MEMÓRIA DAS PEDRAS






É preciso ouvir as pedras
o corpo inteiro
das escarpas
beijar o chão das palavras
que falam por gestos

é preciso ouvir as pedras

grãos de areia 
moventes
por entre os dedos
que se riscam
e alumiam noites

dão sentido à luz
breve
quase perfeita
de um fósforo

é preciso ouvir
a memória das pedras


Eufrázio Filipe

15 comentários:

graça Alves disse...

Muito bonito e depurado!
Abraço

Marta Vinhais disse...

Porque estamos igualmente a ouvir a nossa...
Belo
Beijos e abraços
Marta

Andrea Liette disse...

É um lindo poema, como todos os outros que ouço. Ouço sempre com doçura, suavidade, não somente o seu, mas de tantos outros. Gratíssima!

Arco-Íris de Frida disse...

Observar, para ouvir...

JANE GATTI disse...

Viajando hoje pelos textos não lidos, observo a tríade perfeita: água, luz, pedra: caminhar por sobre as águas, observar a luz fugaz, ouvir as pedras... A sabedoria do encontro com o primitivo, com o profundo. Abraços e minha admiração.

luisa disse...

É preciso saber ouvi-las. Elas falam em silêncio. O poeta sabe. :)

Graça Pires disse...

Com a memória das pedras conquistamos um silêncio propício à evasão e ao sonho... Muito belo!
Beijos.

Jaime Portela disse...

Há palavras que falam por gestos.
Excelente poema.
Tem uma boa semana.
Abraço.

Agostinho disse...

As chispas que contêm em si é que nos aliam o caminho.
Parabéns, Poeta. Que nunca te faltem fósforos para atear o lume.

Bandys disse...

otimo poema, escutar sempre porque o silencio é sabio;
Beijo

Majo Dutra disse...

~~~
As memórias definem a identidade...

Um poema de um simbolismo singular!

~~~~~~~ Dias felizes, EF. ~~~~~~~~

~ http://avivenciaravida.blogspot.pt/

Suzete Brainer disse...

No chão das palavras,
a nudez, a sua essência
de gestos plenos de luz-sentir!...

Admirável sempre a tua poética!
Bjs.

Ailime disse...

Há pedras com vida!
Magnifico poema.
Beijinhos,
Ailime

© Piedade Araújo Sol disse...

ai falam, falam.
preciso saber ouvir!
:)

Odete Ferreira disse...

Para as ouvir, primeiro é preciso senti-las. E dizem tanto!
Sublime!
Bjo, amigo :)