domingo, 15 de novembro de 2015

TANTA LUZ


                                                      PUBLICADO EM 2011



 
Junto ao portão
os cães ladravam
aos outros cães
 
porque havia um portão
de faúlhas
e a noite acordava
com pássaros claros
 
e agora?
 
neste restolho de latidos
e gestos inacabados
que hei-de fazer
a tanta luz?
 
que hei-de fazer
quando te deitas
nas escadas do templo
a tecer fios de música
 
e os cães não se calam?
 
 
eufrázio filipe


 

24 comentários:

Maria Eu disse...

E a luz era tão intensa que cegava.

Beijos, MA. :)

Salete disse...

Na minha humilde opinião o seu poema é genial e atualíssimo.
Os portões estão prestes a abrir. Que vença o melhor.

Beijinho.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Poeta

se a luz se dá
dá-me um pouco

aqui, apenas vai raiando
e os cães permanecem calados

teresa dias disse...

Belo poema.
Linda foto.
Tudo continua perfeito no MAR ARÁVEL.
Abraço.

Teresa Durães disse...

O portão abrir-se-á para melhor se ouvir os pássaros e os fios de música

Olinda Melo disse...


Fios de música e torrentes de luz, uma dualidade perfeita.
Ai, meu amigo, eu teceria com ela uma colcha, aliás, um xaile
do tamanho do mundo com gestos bem precisos, enquanto espero
que o portão se abra de par em par. Os latidos dos cães
guiar-me-iam, indicando-me o caminho.

Abraço

Olinda

Agostinho disse...

Pois se a luz é tanta
distribua-se segundo a precisão
dos que ladram para os que estão
amarrados ao não

Abraço

Marta Vinhais disse...

Esperar que os portões se abram finalmente para que luz entre e todos gritem...
Gostei muito...
Beijos e abraços
Marta

mz disse...

A luz terá de ser encarada com naturalidade até que todos saibam usá-la.Depois, os cães calar-se-ão.

:)

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

...tanta luz: A luz necessária em momentos de escuridão.

Armando Sena disse...

Aprisioná-la (a luz) e criar um universo de utopia.
ab

Ailime disse...

Belíssimo!
Que nos resta? Aguardar que a luz não esmaeça nos gestos inacabados.
Bjs
Ailime

ana disse...

Bonito.
Boa noite.:))

Janita disse...

Que beleza! E como andamos a precisar de Luz, Poeta!

Beijinhos

bettips disse...

Os cães são recebidos com pompa e circunstância, num mundo-cão. A luz virá quando menos se esperar. A poesia acontece como uma dor súbita.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Conseguimos sempre sair de nós e ir ao encontro das palavras, estas, de grande poder.

Graça Pires disse...

"a noite acordava
com pássaros claros"
Foram os pássaros que trouxeram tanta luz para iluminar a nossa alma...
Um beijo, meu amigo.

Miss Smile disse...

As suas palavras são sempre luminosas. Muito belo.

heretico disse...

que a luz se cumpra!

e os gestos (inacabados) também!

forte Abraço

Suzete Brainer disse...

A qualidade da tua excelência poética
é inegável.
Mas, fiquei rendida aqui:
"Que hei-de fazer
quando te deitas
nas escadas do templo
a tecer fios de música"
Belíssimo!
Bjs.

Acordar Sonhando . SOL da Esteva disse...

A luz aclara sentimentos, mesmo que os cães não parem de ladrar.


Abraço
SOL

© Piedade Araújo Sol disse...

a luz encarregar-se-á de calar os cães, e a música inundará a(s) cidade(s)

um beijo

:)

jrd disse...

Os cães sabem ver a luz ao fundo do túnel.

Abraço poeta

Odete Ferreira disse...

Profunda (e criativa) metáfora de uma sinfonia de vozes dissonantes e a sinfonia alternativa que apenas alguns são capazes de compor.
Meu apreço maior pela tua arte, Mar.
Bjo :)