terça-feira, 24 de março de 2015

HERBERTO HELDER


                                                             1930- 2015          


A poesia foi o grande apeadeiro da sua vida. Poesia que reescrevia em cada livro para conforto das palavras. Poeta de galáxias, escarpas e mares infinitos, foi visita assídua de quotidianos, silêncios em voz alta. 
Morreu o Herberto de tantos ofícios,  vive a sua poesia. 

Obrigado por todos os instantes. 

22 comentários:

Ana Tapadas disse...

Só o homem partiu...o Poeta fica-nos...

Beijo meu

Lídia Borges disse...


Nada pode a morte contra a palavra do Poeta.


Lídia

Graça Sampaio disse...

Lindo texto! Tão simples e tão completo!

Partiu o Homem. Fica a Poesia.

Beijo

Rogerio G. V. Pereira disse...

Uma outra forma de dizer que os Poetas não morrem. Esta, mais bela

Majo disse...

~
~ ~ ~ Um canto perene... ~ ~ ~
~~~~~~~~~~~~~~~~

Anónimo disse...

Que a sua última "escarpa" o ilumine...

Graça Pires disse...

Palavras que permanecem apesar da morte, as do Poeta Herberto Helder, no coração de quem ama a poesia.
Um beijo, amigo.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Junto-me a si nesta homenagem e
despedida ao Homem. Fica a sua poesia.
Um abraço
Irene Alves

jrd disse...

(...) Corpo e alma e bilhas de gás na eternidade (...)

Enorme e inesquecível.

Bela homenagem a tua, meu irmão Poeta.

Imprópriaparaconsumo disse...

Ficam as palavras. São eternas

Janita disse...

" Onde está o mar? Aves bêbedas e puras que voam
sobre o teu sorriso imenso.
Em cada espasmo eu morrerei contigo."

Quem escreve assim, nunca morre!

Linda homenagem de um Poeta para outro que parte, apenas fisicamente. Fica a memória e a obra.

Um abraço.

Maria Eu disse...

Temos sempre o festim das palavras.

Beijo, MA. :)

anamar disse...

"As crianças são o instante onde as liras e os dedos são uma única rosa"
HH

Olinda Melo disse...


Um olhar para além do horizonte, um olhar que é um pensamento, um pensamento que voa até ao infinito:

"O olhar é um pensamento.
Tudo assalta tudo, e eu sou a imagem de tudo.
O dia roda o dorso e mostra as queimaduras,
a luz cambaleia,
a beleza é ameaçadora.
- Não posso escrever mais alto.
Transmitem-se, interiores, as formas." Herberto Helder

Abraço

Olinda

© Piedade Araújo Sol disse...

morreu o corpo.

o Poeta permanece na sua obra.

:)

Lilá(s) disse...

A sua poesia ficará sempre viva em nós.
Bj

teresa dias disse...

Belo tributo ao poeta.
Poeta que se deixou para sempre nos versos que escreveu.
Obrigada. Aos dois.

Agostinho disse...


A sua imortalidade estará sempre provada no encantamento das palavras semeadas aos ventos. Continuará, pois, sem dinheiro gaz

lupuscanissignatus disse...

escarpas vivas as que talhou para nosso deleite

Tristan Reveur disse...

chorei
"choro muito até nos telejornais" como diz o Zé Luís (Peixoto)

EU disse...

Um escrito à altura do poeta.

Laura Santos disse...

Um dos meus poetas!
http://escritacommusica.blogspot.pt/2013/08/herberto-helder.html