sexta-feira, 27 de março de 2015

INACABADA FLOR DE ABRIL



                                                                      reconstruído


Hoje vi com os meus olhos
uma santa mulher
asfixiar um pássaro nas mãos 
só para desenhar no chão
a dor que sentimos 

chamei-a
para deixar nas areias
um beijo côncavo
até a memória arder
os últimos barcos
e as algas discernirem
de olhos abertos
todos os ritmos das marés

chamei-a
para esgrimir contra
a invenção dos destinos
erguer o seu corpo
recolher todos os grânulos disponíveis

Hoje vi uma mulher amada
esculpida na praia
a despontar nas areias

inacabada flor de Abril


Eufrázio Filipe

25 comentários:

Vítor Fernandes disse...

Há algum tempo que não o visitava e arrependi-me de não o ter feito. Não é todos os dias que se lê tanta beleza. Um abraço, Eufrázio.

CÉU disse...

Olá, Filipe!

Não tenho poder de síntese, e por isso, não consigo comentar, prosa ou poesia, com duas palavras, como o faz.

Então, hoje viu uma mulher, bem avantajada, por sinal, flor de todos os meses, que esmagou um passarinho nas mãos. Sabe, meu amigo, por vezes, esmagam-se "coisas" por prazer, dor, ou raiva.
Fez muito bem em chamá-la. Pode ser que assim, completem a "obra" inacabada (não falem de ideologias políticas, aconselho, para não acontecer como a outra).

Gosto, sempre, do que escreve, porque mistura o sociopolítico com a ternura, o devaneio e o desejo.

Bom fim de semana.

Abraço, sem apertar.

Rogerio G. V. Pereira disse...

"inacabada flor de Abril", tenho-a tão presente...

jrd disse...

Virá de novo o Abril em que a flor -ainda- inacabada, despontará no regaço da mulher amada.

Abraço meu irmão poeta

trepadeira disse...

Mesmo morto verei a flor a desabrochar.

Abraço,

mário

Tristan Reveur disse...

ai quem me dera ser poeta...
tem um bom fim de semana

desculpa mudamos de rumo
já não somos "belos e malditos"
somos de tristan reveur
alguém que nunca existiu
e por não existir tornou-se
um mito.
por razões que a razão desconhece
mudamos de blog e de nome.
küss ich
tristan reveur ;-)
(o que nunca existiu)

Graça Sampaio disse...

Tanto de abril ainda para acabar, ainda por fazer...

Lucy Mara Mansanaris disse...

Um poema que cala a voz para acordar todas as melhores imagens, que ecoam, belíssimo demais, parabéns!

EU disse...

E continua por cumprir-se o abril primaveril.
Só uma santa mulher seria capaz de guarda nela todas as nossas dores.
Bjo, Filipe
(Posso atrasar-me devido a compromissos, mas volto sempre aos lugares de (meu) encanto.)

Majo disse...

~
A amenidade e calidez de Abril
despertam antigos sonhos...
~ ~ Prementes...
~ ~ Pungentes...
~ ~ Ardentes...

~ ~ Abril por realizar!
~~~~~~~~~~~~~~~~

Belo o teu sentido canto, Poeta!
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
~ ~ ~

© Piedade Araújo Sol disse...

inacabado Abril com ou sem a flor...

:)

Graça Pires disse...

"Inacabada flor de Abril": um pássaro que há-de sempre voar mesmo que o tentem asfixiar...
O teu poema é Lindíssimo!
Um beijo.

Laura Santos disse...

Embora todos os seus poemas sejam excelentes, este tocou-me de especial maneira.
Obrigada pela excelente poesia!
xx

Janita disse...

Esperemos que o mar revolto não faça subir a maré...

Poema majestosamente belo!!

.

Elvira Carvalho disse...

Algum dia, a flor de Abril deixará de ser inacabada?
Um abraço e bom Domingo

Marta Vinhais disse...

Há dor, há esperança, há destinos...
Há muita coisa que pode e deve ser feita...
Que desabroche...que abra as asas e voe...
Lindo....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Imprópriaparaconsumo disse...

A (im)perfeição das linhas inacabadas :)

Fê blue bird disse...

Não tenho palavras para comentar tão belo e intenso poema.
Senti-o, e isso é que importa.

um beijinho

Magia da Inês disse...

ه° ✿ミ
Simplesmente lindo!

Ótimo domingo!
Boa semana!
Beijinhos.
✿╮
╰✿✿ه° ✿

GL disse...

Inacabada ou espezinhada?!

Abraço.

heretico disse...

Mulheres de Abril vestidas da dor tempos.
que resistem esculpidas no sopro das marés. e no olhar límpido dos poetas.

abraço, meu irmão

manuela barroso disse...

Flor esculpida com a arte do poeta e a areia leve das palavras . Inventaremos outro abril e renascerá outro flor
Belíssimo
Bji

Braulio Pereira disse...

belo poema.

boa päscoa

beijos.

Teresa Durães disse...

Uma bela ode!

Agostinho disse...

Chegará o Abril em que a mulher cuidará da flor no seu mais puro íntimo.
Um poema onde da tensão latente resulta no desejado belo.