terça-feira, 1 de julho de 2014

À FLOR DA PELE






Nos estilhaços do bairro
ainda há um espaço
quase inteiro
para cantar

à flor da pele

 

23 comentários:

Arco-Íris de Frida disse...

Eu ando ultimamente a flor da pele... e sem espaços...

jrd disse...

E um dia virá em que os estilhaços vão descobrir novos espaços.

Abraço meu irmão

lino disse...

Cantemos, então!
Abraço

Teresa Almeida disse...

À flor da pele há espaços e sentires imparáveis!
Beijo meu.

Graça Sampaio disse...

A sua poesia desenvolve-se em espelhos e em estilhaços. Por isso, muitas vezes, difícil de explicar, mas fácil de absorver. De intuir. E bela com sabor a mar.

Parabéns!

Janita disse...

Tudo o que mantemos à flor da pele, pode romper em estilhaços, quando menos o esperamos!

Que sejam coisas boas!...

A foto está espectacular!
Os fotógrafos à la minute, também captavam as emoções que estavam à flor da pele.

Um abraço com admiração 'à flor da pele'.

GarçaReal disse...


Há sempre um espaço reservado num qualquer sitio que será só nosso e então cantaremos a melodia que escolhermos.

Bjgrande do Lago


ana disse...

Sou apreciadora dos seus poemas "minimalistas" ao estilo Haiku.
Gostei muito.
Parabéns. :))
Um abraço.

Majo disse...

~
~ ~ Que nunca faltem cantos emocionados...

Anna disse...

Ainda há lugares intactos
Onde a pele se arrepia.

Um beijo, Eufrázio.

anamar disse...

Estamos.

Beijo grande :)

© Piedade Araújo Sol disse...

que o canto esteja sempre presente, mesmo que seja nostálgico, como o fado.

:)

Isy disse...

Quando existe boa vontade a música é sempre bem vinda...

Bjxxx

Marisa Giglio disse...

Sua escrita é à flor da pele . Intensa e bela . Beijos

Suzete Brainer disse...

Uma poesia à flor da pele

sempre transcende sentires...

Bjs.

Ailime disse...

Lindo!
E que os cânticos regressem...
"À flor da pele"!
Bj
Ailime

heretico disse...

estilhaços que são barcos - à flor da pele...

abraço, Poeta.

Pedrasnuas disse...

Às vezes sofrido...

GL disse...

Da pele e da esperança.

Abraço.

Graça Pires disse...

Cantemos sobre os estilhaços!
Beijo, amigo.

Rita Freitas disse...

Bom haver espaço para cantar :)

Abraço

EU disse...

No meio da desagregação, há sempre um canto que entoa...Felizmente!

Bjo :)

Agostinho disse...

Que o canto não esmoreça.
Belo poema.