segunda-feira, 2 de junho de 2014

A FUGA DOS BARCOS







Com olhos cheios de mar
o azul debruçava-se dos céus
para se ver
no espelho das águas

Decantada a essência da luz
ainda fizemos um gesto
acenámos com flores
de jacarandá

mas ao anoitecer
assistimos
por uma côdea de estrelas
à fuga dos barcos


 

32 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Poeta,

Não há noite que não amanheça
Nem barcos que não tornem

Licínia Quitério disse...

Os barcos voltarão, Amigo, como as flores do jacarandá.

Majo disse...

~
~ Uma linda e depurada aguarela em mágicos tons de azul, com algum movimento-- os que partem. ~

Arco-Íris de Frida disse...

Me indique o caminho para os barcos que partem...

heretico disse...

as estrelas são insaciáveis, mas os barcos são sábios - sabem de seu destino vário...

voltam ao cais. com as marés!

abraço, Poeta.

Laura Santos disse...

Olhos espelhos de água onde as viagens surgem, mas os barcos desaparecem ao anoitecer.
Um belíssimo poema!
Até breve!
xx

Teresa Alves disse...

Ancorada a luz, no céu ou no mar, qualquer porto é dispensável.


Boa semana.

Agostinho disse...

No azul arável os barcos hão de estar, harmoniosamente jacarandizados.

Muito bom este Mar.

Marisa Giglio disse...

Fuga poética . Tão bonita e doce . Beijos

Branca disse...

Sempre o mar na plenitude da poesia e da vida. Muito bom.

Beijos

Brancamar

© Piedade Araújo Sol disse...

os barcos são como os pássaros, fogem, mas voltam sempre(ou quase) ao porto de onde partiram....

um beijo

)

trepadeira disse...

Lindo.

Fogem os barcos, vamos afogar os ratos.

Abraço,

mário

Sónia M. disse...

Há fugas
que são nada mais que um tempo adiado

Beijo

Rita Freitas disse...

Com olhos cheios de mar inspiro a beleza destas palavras.

Bjs

GarçaReal disse...


O azul maravilhoso do mar poderá sempre trazer de volta os barcos.

Eles levaram sua missão e regressarão após a terem cumprido.

Muito bom

Bjgrande do Lago

Suzete Brainer disse...

Com "olhos cheios de mar",

o melhor é sentir

este infinito

"no espelho das águas"...

Genny Xavier disse...

Poeta,

Os barcos seguem as rotas que os homens traçam em suas fugas...ou em suas viagens libertárias...As estrelas clareiam os caminhos das águas...e dos homens...

Os ventos marítimos trouxeram seus versos...bons ventos.

Estou de volta com o meu "Baú". Apareça.

Beijo.
Genny

Tétisq disse...

seguem o seu caminho, voltam mais tarde ...

:)

Fê blue bird disse...

Só nos resta esperar o regresso desses barcos.

beijinho

Graça Pires disse...

Descobriremos o caminho secreto dos barcos...
Um beijo, amigo.

MJ FALCÃO disse...

...ao anoitecer
assistimos
por uma côdea de estrelas
à fuga dos barcos...
Para onde vão, cheios de azul, os barcos? E quando voltam? O que trarão? Que cor? Que flores?
Abraço

MARILENE disse...

Se todos os barcos fugissem dentro da encantada tela que pintou, guardaríamos beleza nos olhos, inobstante a sensação de perda provocada pela ausência deles. Abraço.

ana disse...

Só apetece fugir como retrata tão bem este poema.
Gostei muito.
Boa noite!:))

ॐ Shirley ॐ disse...

Bela e poética imaginação...
Mar, um beijo!

anamar disse...

Bom fim de semana para esta casa de poetas.

:)

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde,
os barcos voltam que o dia nasça com mais esperança.
Composição poética linda.
Abraço
ag

http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

Lídia Borges disse...


Diz-se que voltarão os barcos.
Por mim basta-me, agora este navegar
metáforas de sal.

Bj.

Ailime disse...

Belíssimo poema! Tenho esperança que os barcos regressem em madrugada de sol pleno! Bj. Ailime

marlene edir severino disse...

Beirei estrelas

Belíssimo!

Abração, poeta!

Olinda Melo disse...


E agora, o que fazer?
Seduzidos pela luz das estrelas, ainda que poucas, e a beleza das flores de jacarandá, eles voltarão. :)

Abraço

Olinda

Isa Lisboa disse...

Navegaram para outras estrelas...! :)

EU disse...

Os barcos contêm em si um grande poder: a viagem que será sempre encantada em azuis de céu e mar.
Lindo poema!
Bjos (de) Mar :)