terça-feira, 27 de maio de 2014

SÓ NOS FALTAVA SEDUZIR OS PÁSSAROS






A remoinhar
no mais íntimo da pele
tínhamos quase tudo
tão perto das mãos
que nem lhe podíamos tocar

amanhãs
e outros destinos

Só nos faltava
subir às pedras deste chão

impedir nas mansas águas
que o sonho rebentasse
onde as estrelas vicejam
sem quebrantos

Tínhamos quase tudo

até um pomar de faúlhas
para alumiar o fulgor do canto

Só nos faltava
seduzir os pássaros


 

34 comentários:

Arco-Íris de Frida disse...

Isso que queria... seduzir passaros e fugir... voando com eles...

deep disse...

No poema não falta nada. Muito bonito. :)

Armando Sena disse...

E assim tomarmos o mundo.

teresa dias disse...

Maravilhoso!!
Abraço.

Majo disse...

~
~ Os amantes da Liberdade não são fáceis de seduzir...

~ ~ ~ Belo e sentido canto. ~ ~ ~

Lídia Borges disse...


Falta sempre alguma coisa à "coisa" sonhada. Perderam-se as coordenadas do paraíso.
Ainda assim há poemas que, debicados pelos pássaros, acabarão por seduzi-los.

Um beijo

Agostinho disse...

Já não há encantadores de pássaros.

Laços e Rendas de Nós disse...


Se o Poeta o diz...

Beijinho

Suzete Brainer disse...

A liberdade dos pássaros é

uma rota de (possibilidade)

para a infinitude-Ser...

Sempre bela a tua arte poética!

Bjs.

heretico disse...

os pássaros são inesperados e caprichosos - a qualquer hora podem voltar por entre o "fulgor do canto"

muito belo teu poema, Poeta maior.

abraço, meu irmão.

ana disse...

Gostei desta sedução aos pássaros.
Olhando para o registo anterior, diria que os pássaros andam adormecidos dando à raposa a liberdade de agir.
Abraço!:))

Laura Santos disse...

É difícil seduzir os pássaros; geralmente voam para longe quando deles nos aproximamos.
Um belo poema, como sempre.
xx

trepadeira disse...

Prefiro os "amanhas e outros destinos.".

abraço,

mário

Sónia M. disse...

Há sempre algo que falta
e ficamos com o nada do "quase tudo"...

Belíssimo, como sempre.
Beijo.

Rita Freitas disse...

E eu queria tanto seduzir os pássaros.

Subtil e belo.

bjs

Ailime disse...

Lindo e realista! Tínhamos quase tudo e neste momento...apenas o sonho, que não pode esmorecer. Bj Ailime

manuela baptista disse...

continua a faltar

mas sobram-nos estrelas

Joaquim do Carmo (Quicas) disse...

Com versos assim, talvez, sim! Quisera!
Abraço

Teresa Almeida disse...

Eles voam nas asas do sonho, intangível!
No quase está a questão ...
Beijo.

Ana Tapadas disse...

Sugestiva a foto e muito belo o poema...

Beijo

Lilá(s) disse...

Bem que eu tento seduzir os pássaros...belo poema!
Bjs

jrd disse...

E eis que chegou o poema e a sedução completou-se.

Abraço fraterno

Rosa dos Ventos disse...

É tempo de avançar para essa sedução!
Belo poema!

Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

difícil (não impossível) seduzir os pássaros...

:)

Graça Pires disse...

Se tinham tudo tão perto das mãos, não faltava nada, nem a sedução dos pássaros porque voavam com eles...
Um beijo, amigo.

Olinda Melo disse...


...e aproveitar o seu voo rumo ao infinito, para longe desta vida sem sentido. Mas isso seria fugir, não é? Talvez seduzi-los de modo a elevar-nos o pensamento, abrir-nos a mente e inventar um chão lusitano com novos ideais.

Abraço

Olinda

Janita disse...

Por muito que se tenha, nunca se consegue ter tudo. O quase é sempre o mais difícil de alcançar.
Não, aqui, onde o poema tem tudo de belo!
Para quê seduzir os pássaros se o encanto deles é o seu canto?

Um beijo encantado.

Lia Noronha disse...

A liberdade conquistada..é um grande tesouro..abraços meus

EU disse...

Na cumplicidade dos sonhos temos tudo. Na realidade do sentir quase se chega ao infinito. Mas só quase, pois será no intangível que residirá a nascente das palavras para novos voos,já que o poder real do voo só os pássaros o detêm. E essa é uma herança intransmissível.
Gosto muito deste mistério na tua poesia, Mar...
Bjo :)

AC disse...

Os pássaros, na sua simplicidade, só se deixam seduzir pelas coisas autênticas.

Abraço

Marisa Giglio disse...

Tudo tão belo por aqui . Vim retribuir a visita e me encantei . Já sigo este poeta . Abraços

Ana Tapadas disse...

É um poema de rara beleza...

Beijo

MARILENE disse...

O "quase" aumenta vazios? É tênue a visão que distingue o tudo do nada, dependendo do que alimentamos em expectativas. Abraço.

MJ FALCÃO disse...

É sempre tempo de seduzir os pássaros! E vale a pena...
(acabei de ver -ontem- o filme do Hitchcock Os Pássaros e, ainda em choque, acho que é boa ideia seduzi-los!)
Bom domingo