sábado, 7 de junho de 2014

À MÍNGUA DE RELÂMPAGOS








Efémera crisálida
despontou silvestre
na mesa do alpendre
onde nidificam os sonhos
quando um passageiro arfar
se desnudou
à vista dos aloendros
flor vertebrada
no mais alto mastro
das marés
soletrou afagos no jardim
à míngua de relâmpagos

e eu só podia fazer o que fiz

inscrever-te para sempre
numa folha de papel

 

33 comentários:

Maria Eu disse...

Mas para ser eficaz, a inscrição, há que estar inscrita, primeiro, no coração.

Beijinhos Marianos, MA!

Inês disse...

maldiçãozinha linda, escrever.

Rosa dos Ventos disse...

Esse acto de escrita não é para todos...só para eleitos!

Abraço

Majo disse...

~
~ ~ Um sonho vibrante registado num belo canto. ~ ~

Vénus S. disse...

Que bela inscrição, que não ficará certamente à míngua dos apaixonados. :)
Bom fim de semana!

Kiss

Sónia M. disse...

Belíssimo!

Beijo

trepadeira disse...

Guardada à espera dos relâmpagos.

Abraço,

mário

Marisa Giglio disse...

Só aqueles que tem o dom da escrita conseguem com as palavras fazer belas inscrições . Parabéns . Beijos

jrd disse...

A tua poesia conhece os caminhos do papel e sabe como iluminá-los.

Abraço poeta

Janita disse...

Andamos à míngua de tanta coisa que o melhor é despojarmo-nos de tudo e ficarmos nus, à espera que raios e coriscos façam acontecer a metamorfose tão desejada.

Abençoada inspiração!

Um beijo!

heretico disse...

como uma tatuagem - inscrita no esplendor dos relâmpagos.

abraço, Poeta maior - meu amigo e meu irmão.

O tempo das maçãs disse...

e eu só podia fazer o que fiz

inscrever-te para sempre
numa folha de papel

Um momento efêmero belamente inscrito que ficará para sempre...

Maravilhoso!

Beijo.

Marta Vinhais disse...

E sentir os sonhos....na pele...
Lindo....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

Envolvente! Só podias era mesmo 'inscrevê-la numa folha de papel'.

Obrigada pela visita sempre amigável.

Armando Sena disse...

Capturemos os sonhos. Teremos paz.

Olinda Melo disse...


E esse "para sempre" é bem poético. Uma folha de papel faz milagres. Nela se escrevem os sonhos e, também, se inscrevem intenções.

Bom domingo.

Abraço

Olinda

manuela baptista disse...

não se podem ingerir as flores do aloendro

mas cabe tanto numa folha de papel


um abraço

João Henrique disse...

Que o veneno dos aloendros
afastem os maus...
na caminhada dos relâmpagos.

Um abraço

Elvira Carvalho disse...

E fez uma inscrição de deixar os amantes de poesia deliciados, e os amantes de outras coisas também, rsrs.
Um abraço e uma boa semana

Arco-Íris de Frida disse...

Mas é assim que nao se apaga... permanece... quando fica guardado e documentado no papel...

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde,
Numa folha de papel, num quadro ou na areia, seu modo de escrever é exímio.
Abraço
ag

http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

Ana Tapadas disse...

A beleza é esta capacidade de juntar duas palavras que antes se estranhavam...como aqui:
«flor vertebrada
no mais alto mastro
das marés»


Beijo

Agostinho disse...

Uma efémera crisálida à vista dos aloendros ganha fulgor em qualquer jardim.
Muito bom.

Tétisq disse...

afagos trovejantes ...

Justine disse...

E aí ficará para sempre, sem perder nunca a frescura e a beleza...

Lilá(s) disse...

Mas que belo!

José María Souza Costa disse...

Olá, amigo.

Um texto belíssimo.
Parabéns.

Suzete Brainer disse...

Uma belíssima inscrição...

A poesia com o poder de

eternizar o sentir (belo)...

Bj

Ailime disse...

E aconteceu um poema muito belo!
Bj
Ailime

Graça Pires disse...

Escrever o amor com palavras inscritas no coração...
Beijo, amigo.

carlos pereira disse...

Assim o poeta respira. Abraco.

Teresa Alves disse...

E a poesia, iluminada pela serenidade dos versos, de rascunho passou a livro.


Bom fim de semana, Mar Arável.

EU disse...

Nunca será efémera a tua beleza poética, assim como a sua originalidade.
Luminoso poema!
Bjo, Mar