sábado, 21 de setembro de 2013

GUARDA-RIOS






Livres
na placidez exuberante
livres
nas margens de tudo
sequestrados no paraíso
por relâmpagos
que nunca mais chegam
agitam inocentes
águas doces
em busca de uma luz
na sombra das pontes

quedam-se nos apeadeiros do rio
sussurram aladas
lágrimas correntes
num choro compulsivo

Nas margens de tudo
há um barco
que rema
os seus olhos

 

17 comentários:

Olinda Melo disse...


Ficamos presos nessas margens, admirando a imagética deste poema sugerida por palavras que nos levam numa viagem para lá do concebível.

Guarda-rios! Belo!

Abraço

Olinda

trepadeira disse...

Nas margens de tudo, também aí podia, ficar em paz, a felicidade.

Abraço,

mário

Sónia M. disse...

Fiquei presa aqui:

"Nas margens de tudo
há um barco
que rema
os seus olhos"

Belíssimo!

Beijo

Agulheta disse...

Na margem de um rio qualquer se pode encontrar,nada ou sonhos e encantos por descobrir.
Bom Domingo e beijinho

www.amsk.org.br disse...

Livres, sempre construindo margens atravês dos nossos sonhos. Gosto dessa margem.

bjs

Suzete Brainer disse...

"Nas margens de tudo

Há um barco

Que rema

Os seus olhos"

Um olhar especial

circulando

atentamente o mundo...

O olhar do poeta que

transcendem as imagens...

Muito, muito belo!!

Bj.

O tempo das maçãs disse...

Muita coisa se passa diante do olhar estático...

Belo!

jrd disse...

Quando se está sequestrado no paraíso a liberdade não margens.
Abraço

Helena disse...

Imagens que chegam ao olhar trazidas por sua sensibilidade... Poesia que nos enternece a alma e encanta o coração!
A sua poesia tem o dom de nos conduzir por caminhos de sonhos onde, talvez, os nossos próprios sonhos não tenham ousado nos levar...
Gostei do seu espaço, com certeza vou voltar.
Deixo um beijo e um sorriso no seu coração e muitas alegrias no seu domingo.

Pata Negra disse...

Bons versos te vejam.
Um abraço - não sei se do rio ou do apeadeiro, da margem apenas para o descanso

Lídia Borges disse...

Pássaros azuis em liberdade


Um beijo

Jorge disse...

E meus olhos navegam
na margem dos sonhos
livres
límpidos.

Artes e escritas disse...

Lindo poema, gostei dessa paisagem dos rios. Um abraço, Yayá.

Jane Gatti disse...

Poeta, velejamos os seus sonhos, singramos as imagens, compartilhamos a poesia. Obrigada. Abraços.

Armando Sena disse...

Bela e triste alegoria dos tempos que correm.
abraço

Ailime disse...

Lindo poema! Presos numa luz que não brilha e em barco que não navega. Bj Ailime

Cristina Cebola disse...

Há vidas assim: guardadas entre margens!
Mais um magnífico Poema!!!

Abraço e boa semana!