sexta-feira, 9 de agosto de 2013

URBANO TAVARES RODRIGUES UM HOMEM INTEIRO




Urbano Tavares Rodrigues, uma bandeira de cidadania e honra.
Um Homem inteiro - alentejano, escritor e comunista.
Uma voz que o fascismo não calou nem o regime democrático revelou como merecia.
O nosso Urbano, jornalista, crítico literário, e professor catedrático - legou-nos uma vastíssima obra para gerações de leitores.
Conheci o nosso Urbano pessoalmente e com ele fico - Homem generoso, sábio e firme nos valores universais que sempre defendeu.
Permito-me recomendar o seu "Bastardo do Sol " .
Não deixemos morrer os nossos mortos.

 

20 comentários:

jrd disse...

Os nossos mortos continuarão vivos a acompanhar a luta de sempre

anamar disse...

Ficará.
Bj

Lídia Borges disse...

"Bastardos do Sol" foi o primeiro livro de Urbano Tavares Rodrigues que li. E nunca mais perderia de vista este nome grande das nossas Letras.

Um abraço

São disse...

Deu-me a honra da sua amizade e o favor da sua generosidade.

É um dia de pedra negra este, em que morre um Homem digno , que sempre lutou pela Liberdade e praticou sempre o humanismo que defendia.

Portugal fica ainda mais pobre.

Para ti, bom final de semana

Gisa disse...

Linda homenagem.
Um bj

Catarina disse...

Uma perda grande... e o vento parou.

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Gostei da homenagem...

bjo amigo

trepadeira disse...

Não morrerão.
Cá estaremos para carregar a bandeira e lutar.

Abraço,

mário

lino disse...

Grande entre os grandes!
Abraço

Maria João Brito de Sousa disse...

Um enorme Homem!

Tentarei ler "O Bastardo do Sol", Mar Arável!


Abraço!

Pérola disse...

Uma homenagem sempre a proposito e merecida.

Fica na história.

Beijinho

Olinda Melo disse...


Olá,Mar Arável

Seguirei a sua sugestão sobre 'Bastardo do Sol'.

Urbano Tavares Rodrigues, um homem que não morrerá jamais.

Abraço

Olinda

ana disse...

Uma triste perda.

Ailime disse...

Mar Arável, sentida e linda homengem. Urbano Tavares Rodrigues jamais será esquecido. Bj Ailime

Branca disse...

Que dizer senão corroborar tudo o que afirmas? A maior parte de nós sabe-o e não o esquece, nunca o esquecerá, por tudo, pela sua arte, pela sua coerência, pela doçura e brilho do seu olhar, que nos transmitem a alma de um Homem de bem consigo mesmo e com a vida, porque como dizes firme nos valores que sempre defendeu.

Beijos

GL disse...

Fui aluna dele. Quem com ele privou jamais o esquecerá. A verticalidade, delicadeza, doçura, sentido de justiça, eram algumas das suas bandeiras.
Um Homem como já não há.

Justine disse...

Vamos mantê-lo vivo, continuando a ler a sua belíssima obra!

Vento disse...

segui o rasto da tua recomendação,
perdi-me sempre no mesmo lugar:
Europa-América...

mas vou encontrá-lo [talvez na Biblioteca Municipal], só porque ainda há Gente que não se vende [muito pouca, diga-se] e por nunca será esquecida, enquanto houver quem Os nomeie.

linda a tua homenagem, Eufrázio.
abraço.

Canto da Boca disse...

Há de ser revivificado, cada vez que sua obra, sua história, e seu compromisso com o mundo, for lida, debatida, comentada, citada!

Que a eternidade lhe seja grata!!

George Sand disse...

A última coisa que publicou foi numa colectânea para a qual escrevi também um conto...uma honra para mim, portanto.
Escreveu sobre Roma, nos "Contos Capitais" da Parsifal e começa assim:
"Foi na famosa Fontana de Trevi, lançando moedas ao fundo branco da bacia de pedra, que te conheci, Giovanna, alta e loura como uma madona da Renascença, e sorriste-me com infinita doçura" (...)
Uma viagem por uma cidade que conhecia bem. E, pelas palavras