quinta-feira, 9 de maio de 2013

ESPAÇO PARA CANTAR





Nesta aldeia
de mares imperecíveis
e sábios tristes
íntegro um pássaro do alto
entendeu por bem
atiçar o fulgor dos timbres
regressar ao cais
soltar os barcos
e partir
nas cordas vocais
de uma guitarra

Nesta aldeia
refúgio
à flor das águas

ainda há espaço para cantar

 

34 comentários:

Ana Tapadas disse...

É um grande Poeta, meu amigo!

Há lugar para o canto, sim!

bjs

anamar disse...

Felizmente...

:))

OUTONO disse...

...e o canto pode ser grito...

jrd disse...

Sim Poeta! Nesta aldeia ainda há lugar para um canto liquido, um canto livre.

Abraço

elvira carvalho disse...

Ainda bem. Porque quando esse espaço acabar, valerá a pena viver?
Um abraço e bom fim de semana

Maria João Brito de Sousa disse...

Sempre haverá lugar para tão belo canto, Mar Arável!

O meu abraço!

Alexandre de Castro disse...

A liberdade dos pássaros causa-nos inveja!...

Sónia M. disse...

E quem assim canta,
também encanta
e seus males espanta :)

Bj

Maria Campos disse...

Sempre! Para cantar, para dançar, para amar e... para sorrir!

trepadeira disse...

Pois que cantem,mesmo os pássaros que partem,ou só rodopiam.

Abraço,
mário

carlos pereira disse...

Belo poema. Gostei.
Não percamos a oportunidade de cantar as palavras que hão-de mudar o rumo ao destino do nosso barco.
Abraço poeta amigo.

heretico disse...

há momentos de serenidade, sim.

e de celebração da Poesia.

abraço, meu amigo

Janita disse...

Se Aracy Cortes ainda tivesse voz dir-lhe-ia que nessa aldeia uma mulher é como uma guitarra: não é qualquer que a abraça e faz vibrar...
ou quiçá sotasse as amarras e deixasse o barco partir ao som dolente da canção...

"Ai, ioiô
Eu nasci pra sofrer
Foi olhar pra você
Meus zoinho fechou
E quando os óio eu abri
Quis gritar, quis fugir
Mas você
Eu não sei porque
Você me chamou"

Será que o poeta sábio voltou, para ouvir o som dolente da guitarra?


lis disse...

... e a música serve-se da poesia para chegar ao coração
displicentemente...
'os sábios tristes '
regressam...


ana disse...

Será que ainda há espaço para cantar?

A guitarra é dedilhada mas dela sai a agonia do povo.
Beijinho.

teresa dias disse...

Perfeito!
Bjs.

irene alves disse...

Há espaço para cantar e precisamos
cantar bem alto para nos ouvirem.
Precisamos de dizer que estamos
VIVOS!!!
Um bj. bom fim de semana.
Irene Alves

Branca disse...

Haverá sempre espaço para cantar, mesmo que seja uma canção triste. Cantava-se tanto no antigo regime e foram tão necessários na luta os baladeiros e todas as canções de resistência, que se transformaram num coro imenso nas vozes de muitos de nós. Nas suas (nossas) bocas soltaram-se as sílabas da liberdade e de todas as madrugadas por descobrir...

Beijos

Vento disse...

gosto de te ouvir cantar, Poeta!

beijos

Graça Sampaio disse...

Muito bem! Muito bom!
Gosto mesmo!
Parabéns!

Lídia Borges disse...



Pois se, por vezes, o canto é tudo.

É este um canto pleno de movimento e bem dizer.

Um beijo

Paula Rodrigues disse...

sempre espaco paa cantar

Lindo
Bjinhos
Paula

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

e que seja o canto.. sempre...

abraço

Canto da Boca disse...

A poética a cantar nos acordes de uma guitarra, eriçando a "flor das águas", dos mares imperecíveis dos seus versos.
Lindo!

© Piedade Araújo Sol disse...

e este canto será Fado...

um beijo

:)

Rita Freitas disse...

E que seja um hino :)

OceanoAzul.Sonhos disse...

E que bom é sentir a poesia...

Boa semana
Abraço
cecilia

deep disse...

Que nos sobre sempre alguma vontade de cantar. :)

Laura Ferreira disse...

Gostei desta cantiga.

Rosa dos Ventos disse...

E haverá sempre espaço para cantar!

Abraço

Maria Luisa Adães disse...

Que bom
haver espaço para cantar!

Belo!

Mª. Luísa

Sandra Subtil disse...

Cantar até que a voz nos doa

beijinho

Ailime disse...

Por enquanto ainda podemos cantar! Bjs Ailime

Pearl disse...

Que cantes sempre.


:)