domingo, 7 de abril de 2013

A LEVEZA DOS PASSOS






Nunca foi importante
saber se era vento
barco pássaro
mulher incerta
metáfora
ou flor de estação

importante é quando passa

passeia no corpo das searas

evita magoar os cravos

Sempre me apaixonei
pela leveza dos seus passos


 

32 comentários:

Janita disse...

Passos leves, mas decididos, são os que me apaixonam e impressionam.

Bom domingo.

Beijo.

Canto da Boca disse...

Que importa a matéria se o que fica na alma é a emoção?

Branca disse...

Toda a leveza é assim, um sopro de poesia como este.

Beijos

www.amsk.org.br disse...

Caramba,

simples e definito,

como deveria ser, completo.

bjs

Lídia Borges disse...


"Importante é quando passa"

Importante é o que deixa, em nós, a cogitar encantamentos.


Um beijo

Virgínia do Carmo disse...

levemente profundo. Uma superfície imensa onde flutuar, de sentidos à deriva.

Um abraço

Parole disse...

E eu sempre quero saber... rs

Beijinho.

jrd disse...

Quem não se apaixona pela leveza dos passos de quem evita magoar os cravos?

trepadeira disse...

Há uma aragem,uma aragem,que tudo trás.

Abraço,

mário

Ailime disse...

Belíssimo poema, com como suave e bela é a sua inspiração. Beijinhos, Ailime

© Piedade Araújo Sol disse...

profundo e suave.

beijo

:)

Rita Freitas disse...

E a sabedoria está na leveza :)

Bjs

Isabel disse...

Suavidade que não magoa.

lino disse...

Mulher de vermelho!
Abraço

marlene edir severino disse...

Leve quebrada nos quadris
quando muda o passo.

É desta que falas, poeta?

Abraço!

ana disse...

:) A leveza é intemporal.
Beijinho.

Sónia M. disse...

Serão poucas as coisas que importam

quando os sentimentos afloram.


Beijo

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Como as palavras sem significado profundo de repente dizem tudo... como a paixao da leveza dos passos...

lis disse...

Os gestos falam mais que palavras e é pelo olhar que a paixão nos toma inteira,
belo passeio.

Mel de Carvalho disse...

saber passar pele vida como uma brida ou uma aragem, suave e doce, é, por certo, atributo de poucos, e, desses e a esses, está destinado o registo mais indelével nos campos e searas.

belíssimo texto, estimado Eufrázio
grata pela partilha

fraterno abraço
Mel

Jane Gatti disse...

A poesia está presente em tudo que nos rodeia, até mesmo na leveza dos passos. Saber transformá-la em palavras é arte.
Abraços, aproveito para agradecer a presença.

Maria João Brito de Sousa disse...

... nem sequer a brisa é passível de ser domada, Mar Arável, mesmo quando, de tão gentil, faz por não magoar os cravos. Só pára quando morrer...

Abraço!

manuela baptista disse...

sendo assim

não é mesmo importante saber se é vento

é bonito

irene alves disse...

A Insustentável Leveza do Ser!!!
Bj.
Irene Alves

MJ FALCÃO disse...

Pois não...

"Nunca foi importante
saber se era vento
barco pássaro"...

Lindos verso! Boa noite

Sandra Subtil disse...

Leveza do ser.

Sopro de vida.

Beijinho

heretico disse...

como uma brisa suave e quente de Abril...

abraço, Poeta

Agulheta disse...

Doce encantamento na passagem,gostei muito do poema.
Beijinho

Fragmentos Culturais disse...

Toda a beleza é isso, um sopro de alma que se passeia na leveza do instante.

*Escritora de Artes* disse...

Leve e doce...

Abçs

Justine disse...

E como é apaixonante a leveza da poesia...

Olinda Melo disse...


Etérea composição, em que a leveza das coisas tem o peso da vida ou do 'vento que passa'. Como os cravos, por exemplo...

abraço

Olinda