quarta-feira, 20 de março de 2013

LEVO À BOCA OS TEUS LÁBIOS






Nos mastros mais altos
tão doces em bando
passavam a cantar
para alívio da voz

só faltavas tu
réstia de vento

Acendi um fósforo
fechei os olhos
abri os olhos
para ver quase tudo

mas quem sou eu
para alumiar caminhos?

Quando invoco relâmpagos silvestres
 é para assustar os pássaros
adormecidos no baloiço das marés

levo à boca
os teus lábios
e assim ficamos
desgrenhados
a respirar

 

26 comentários:

Rogério Pereira disse...

Digo isto em voz alta
para que tuas palavras ressoem
Ditas, ficam ainda mais bonitas...

Canto da Boca disse...

E de contradição em contradição, vai-se fazendo a luz que refulge toda a emoção advinda da tua poesia!
Não sei quem alumia o caminho, mas sei quem escreve poeticamente com a alma e deixa esperanças no caminho!

Vento disse...

procuro o dicionário das palavras belas
de palavras que não manchem as tuas
... não sei dele!
então leio-te em silêncio
escondida na sombra da luz do teu fósforo
que treme na parede frente aos meus olhos
enlevados de ternura
porque é em ternura que irremediavelmente
se transmuta quem te lê!

e depois:
Klint!

tão lindo, Eufrázio.

Lídia Borges disse...

"mas quem sou eu
para alumiar caminhos?"

Tanto do que eu tenho sempre para dizer!


um beijo

lis disse...

e eu diria
... quase me sufoca os lábios teus.
Bonito!

jrd disse...

Quando a poesia abre os lábios para deixar entrar o vento.

Brígida Luz disse...

Desculpa a repetição, mas,
na verdade, estes versos ressoam
e ressoam e ressoam, por dentro

"mas quem sou eu
para alumiar caminhos?"


Obrigada

© Piedade Araújo Sol disse...

acho que não fica o respirar, mas apenas o sufoco (ou quase) dos lábios nos lábios....


:)

marlene edir severino disse...

Basta
ser
poeta!

Abraço, Eufrázio!

Helena disse...

Belíssimo!

irene alves disse...

Aqui encontra-se sempre poesia
de qualidade e que lida com
atenção diz muito.
Um bj.
Irene Alves

Ailime disse...

Magnífico poema em perfeita sintonia com a tela. Bjs Ailime

Lou Salomé disse...

"E assim ficamos desgrenhados a respirar"... e a suspirar, em uníssono!
Beijinhos
(E também eu adoro o Klimt)

Luis lourenço disse...

A emoção da palavra poética é fantástico...como se vê no teu poema.

abraço,

Véu de Maya

Laura Ferreira disse...

Muito bonito.

Sónia M. disse...

Deixo um beijo

e um suspiro :)

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Belo

heretico disse...

sobressalto de pássaros. nos lábios...

abraço, meu caro Poeta

elvira carvalho disse...

Em dia mundial de poesia, não podia esquecer este cantinho onde sempre encontro bons poemas.
Um abraço

Justine disse...

Belo, como o "Beijo"!

Sandra Subtil disse...

Que palavras belas!
Que sentimento...
Beijo

Ana Tapadas disse...

Muito belo, num ritmo cantado...

(o título do blogue é espantoso!)

bjs

:.tossan© disse...

Bela e profunda!

Papoila disse...


Cheguei a este mar atrás do rasto deixado lá no campo.

O quadro de Klint, o poema e este beijo e a surpresa Eufrázio!
Há quantos anos!
Beijo

vieira calado disse...

Um belo poema que apreciei.
Aliás como os outros!

Um abraço!

Licínia Quitério disse...

Respirar como os pássaros. Ou os poetas.