domingo, 24 de março de 2013

AMPLAS CLARIDADES





Quando te despiste
à janela
ainda não tinha começado a Primavera

Em flor
à sede de uma luz
um bando de pássaros
irrompeu os céus
pintou-os de azuis
para alumiar o chão
de pétalas

Quando te despistes
não deixaste de ver
relâmpagos
nos jardins

amplas claridades


 

29 comentários:

Lídia Borges disse...


"Em flor
à sede de uma luz"...

A imagem faz o poema ou é o poema a fazer a imagem?

Um beijo

Canto da Boca disse...

Nos jardins de olhos atentos, espreitando uma floração tão particular!

Belo, Eufrázio!

Licínia Quitério disse...

Sim, tudo é luz.

Jorge disse...

E quem lê, vê relâmpagos de arte!

AC disse...

Envolvente, de uma enorme beleza.

Abraço

lis disse...

O ato de despir é significativo,
"irrompeu os céus
pintou-os de azuis'...
há sempre o momento de descobrir 'claridades'.

Isabel disse...

Gostei do poema e da pintura (de um pintor que aprecio ).
Um beijo

jrd disse...

A Primavera chegou para fruir da nudez.

ana disse...

Muito bonito e melancólico.
Parabéns! :)

elvira carvalho disse...

Gostei.
Um abraço e uma boa semana

Rogério Pereira disse...

Que a visão
seja premonição

de amplas claridades
(a Abril está a chegar)

Mar Arável disse...

ROGÉRIO

Fizeste a boa leitura
Abraço

Sónia M. disse...

E assim despidos
pisemos o chão de pétalas
em dias claros.

Beijo

heretico disse...

florações de sentidos - libertos!

belo.

abraço, meu caro Poeta

*Escritora de Artes* disse...

Intenso...

Obrigada pela visita

Abçs

Ailime disse...

Belíssimo poema relembrando ou ansiando por claridades renovadas. Bj Ailime

the eye of the beholder disse...

Belíssimo. Simplesmente belíssimo.

black angel disse...

pena que quando se visita um blogue
comenta-se apenas o 1ºpost, de fugida.
existem otras histórias num blogue
que se visita.
de qualquer modo, este é um poema notável.
parabéns

Pearl disse...

O acto de despir não é apanágio da Primavera mas sim do Inverno, seja qual for a estação é importante é que os pássaros não deixem de voar.
Sempre.

:)

irene alves disse...

Pintura e poesia se enquadra...
Mas os pássaros podem ser de
várias cores que o seu cântico
sempre me seduz.
Boa Páscoa
Bj.
Irene Alves

Maria Alice Cerqueira disse...

Prezado amigo
Vim agradecer sua presença amiga lá no meu recanto, e informar que endereço do meu blog mudou http://mariaalicecerqueira.blogspot.com.br/
Também pedir desculpas pela minha ausência, mas tem sido por conta de estar na luta em busca de uma editora para editar meu livro.
Agradeço a compreensão!
Tenha uma linda semana
Abraço fraterno.
Maria Alice

Ana Tapadas disse...

«amplas claridades» amplifica toda a realidade poética aqui desenhada...
Lindo.

bjs

Sandra Subtil disse...

Temo pelas nuvens negras que vejo pairando sobre nós...

Beijinho

Alma disse...

e abril está próximo...
belo poema!

estes últimos dias férias vou ver se visito os blogs dos amigos.
comecei pelo teu.
bjinhos

Minha vida de campo disse...

Um belíssimo poema para brindar a primavera.
Tenha uma feliz pascoa.

manuela baptista disse...

amplos pássaros

e uma janela


apenas podia ser seu, este poema


um abraço

Ana Tapadas disse...

Vim reler esta maravilha.

bjs

© Piedade Araújo Sol disse...

a nudez por vezes (ou quase sempre)
são relâmpagos e fogo...

:)

Não me esqueças.... disse...

Quanto maior a nudez do amor, mais luz irradia :-)