quinta-feira, 1 de novembro de 2012

CHAMEI-TE MAR



 
 


No mais íntimo da pele
desgrenhei o vento
para te desassossegar os cabelos

escrevi na água
da chuva
para ver
como as palavras
se desmoronam

No mais íntimo da pele
lá estavas azul
tão azul tão azul
que te chamei mar

e já é tanto

 

41 comentários:

Maria disse...

No mais íntimo de mim
sei que és azul
como as estrelas
como o sol
como a terra
no mais íntimo de mim
sei que és rio
sei que és mar
sei que és tu!

beijo.

marlene edir severino disse...

Precisa mais?

[... Além disso, Mar]

e maresia
entranhada nas narinas

Abraço, poeta!

BlueShell disse...

Escrever na água da chuva...e sentir as palavras fluir...até ás alturas...e aí sim, escrever teu nome: EXCELETE a s imagens, o TODO!
Bj
BShell

Sónia M. disse...

"e já é tanto"


Beijo
Sónia

Isabel disse...

Bonito o seu poema ( e este que aqui está da Maria).
Adoro o mar.
Bom feriado!

www.amsk.org.br disse...

Escrever na água é o máximo.

bjs

Maria José Meireles disse...

Lindo, lindo, lindo!...

anamar disse...

Hoje, apesar da rouquidão, li-tw em voz alta...
Penso que conferiu maior sensualidade às tuas palavras...

Beijo.... grande
:))

tecas disse...

« No mais intimo da pele, chamei-te mar» Num azul tão belo da imagem, sobressai a beleza do poema.
Beijinho amigo e uma flor.

© Piedade Araújo Sol disse...

eu também gosto de escrever na água...

e já é tanto...

beijos

Rogério Pereira disse...

Desassossegando

e já é tanto

Anónimo disse...

"Há mar e mar, há ir e voltar!"

Pata Negra disse...

Um abraço e ó mar que se faz tarde para que sejamos mar de tantos que havemos ser

trepadeira disse...

E o mar há-de,um dia,ficar revolto,tão revolto que possa trazer pão.

Um abraço,
mário

jrd disse...


Quando a maresia trás a poesia.

Abraço

maria teresa disse...

Podia ser lago, azul da cor dos olhos que já me sorriram...
Abracinho meu

heretico disse...

por vezes o azul é arrebatador...

belíssimo poema, meu caro Poeta.

forte abraço

Sandra Subtil disse...

Uma ternura de poema.
Beijo

BRANCAMAR disse...

E tudo aqui é tanto...

Beijos

Nita disse...

Belissimo! Navegando, encontrei este espaço. Vou ficar e acompanhar…

tulipa disse...

Interessante poesia!

Belo ondular de palavras
em MAR azul
azul e mais azul.
Gostei.

Obrigado pela partilha.

Infelizmente tenho um problema grave nos olhos que,
me está a privar de fazer o que mais gosto:
ler, fotografar, visitar blogues e deixar comentários e mesmo fazer posts nos meus 3 blogues.

Aqui há uns tempo mostrei olhares lindos sobre o Douro e as suas margens...

Agora fui até Vila Praia de Âncora, Moledo, Caminha, Vila Nova de Cerveira e Valença do Minho...

Beijinhos

Bom fim de semana.

Rita Freitas disse...

Um grande privilégio, chamar-te mar.
E quantas vezes desmoronam as palavras...

Bjs

Brígida Luz disse...

Entardece.

Tanto... tanto...

Mas ainda cabe no tempo
a imensidão do olhar
que nos guardou o mar.

Bom fim de semana :)

Parole disse...

Tão lindo!

Um beijo.

Silenciosamente ouvindo... disse...

A sua poesia é sempre muito cativante e apelativa.
Bj.
Irene Alves

Justine disse...

E é tudo - é poesia!

manuela baptista disse...

amar o mar tão azul,

é mesmo tanto


um abraço

Carla Brito disse...

Muito bonito!
Parabéns!!

Antonio Gallobar disse...

Um belo poema, escrito na agua do mar, com aroma a sonhos azuis

Antonio Gallobar disse...

Olá

Belíssimo poema escrito nas aguas do mar, em tons azuis... azuis como os sonhos que se perdem para lá do horizonte

Parabéns

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Passe no meu blog tem lá prémio para você....
Cumprimentos

Ana disse...

E já é tanto este azul ...

Vento disse...

e o mar
é imenso

Lídia Borges disse...


Às vezes é esta a sensação... Tão pouco e, no entanto, "tão azul tão azul", tão mar!

Lídia

Graça Sampaio disse...

Muito bonito! Tão bonito como o azul. Tão bonito como o mar!

Beijos sempre azuis.

Canto da Boca disse...

(E o que há na intimidade da pele, senão a-Mar?)

Vítor Fernandes disse...

Porque as palavras se molham e o mar nos olha.

Vítor Fernandes disse...

Vou roubar-te algumas palavras do teu lindo poema

Nua, ignis, gema, ranhuras, fogo, descontinuação

Nua em tuas ranhuras gema
Ignis de gema: fogo
Gema de ranhuras, nua
Descontinuação de fogo, ignis.

Vítor Fernandes disse...

Ups, Eufrazio, não publique nem este nem o comentário anterior, pois enganei-me na caixa. Peço desculpa.

Corpo-Alma disse...

MAR QUE INSPIRA E TRADUZ EM PALAVRAS TAO LINDOS VERSOS. PARABENS POETA, SEU BLOG É TUDO DE BOM MESMO!

mundo da lua disse...

Mar combustível dos devaneios de tantos poetas.