domingo, 19 de agosto de 2012

INSONDÁVEIS GARATUJAS




À sombra no altar das oliveiras
os cães com cio lambiam nesgas
de sol cumpriam liturgias
ladravam manso para atrair
os pássaros

Eugénio de Andrade
ao som de Nina Simone
em botão despontavam no cais
voajavam no vértice
das águas doces
tilintavam no bico dos teus seios

No altar das oliveiras
vencido o quebra-mar soprámos
asas velas e passos

escrevemos por gestos nas árvores
insondáveis garatujas
regressámos ao cais
com o latido dos cães

para dar de beber às fontes
acordar os barcos

17 comentários:

trepadeira disse...

Umas garatujas que dá imenso gozo ir decifrando.

Um abraço,
mário

Rogério Pereira disse...

Eugénio de Andrade
ao som de Nina Simone

de quando em quando
o latido de um cão, ao relento

e um poema teu
lembrando que sou barco
atracado e sonolento

elvira carvalho disse...

Que posso eu dizer que não seja, GOSTEI? tenho sempre tanta dificuldade em comentar poesia.
Um abraço e uma boa semana

Parole disse...

É preciso regressar...

Beijo.

Marisete Zanon disse...

Maravilhoso!!! " Acordar os barcos"
Uau!
Uma semana cheia de alegrias e inspirações a ti!
Bjos

lino disse...

Para ler e reler!
Abraço

jrd disse...

Na outra margem entre as árvores, depois do amor.

Abraço

ana disse...

Bom Mar Arável,
Este poema tira-nos o fôlego.
Tem uma carga muito intensa e é muito belo!
Parabéns. :)
Bj.

Vítor Fernandes disse...

E navegamos na sombra da lua nova onde corujas piavam em bom agoiro.

Lídia Borges disse...

"para dar de beber às fontes
acordar os barcos" vale sempre um regresso ao cais.

Um poema daqueles que nos faz ficar, sem sabermos bem porquê.

Um beijo

heretico disse...

poema tatuado no tilintar dos seios...

BELÍSSIMO.

abraço, Poeta amigo.

Canto da Boca disse...

Bela junção: Eugénio, Nina um poema de tirar o fôlego!

Sônia Brandão disse...

Sempre o regresso ao cais.

bj

Carlos Ramos disse...

Do ritmo e das imagens, pareceu-me cheio e gloriioso.

Abraço

Maria João disse...


Que se levante, de novo, o vento no cais. É preciso reescrever a alvorada na copa das árvores.

Um beijinho
Obrigada!

ricardo Gonçalves disse...

Venho deste modo apresentar-lhe o meu novo projecto. Trata-se de um novo blog que pretende fazer uma análise clara e concisa sobre a actualidade nacional e internacional.
Este projecto surgiu no seguimento do término da minha licenciatura na Faculdade de Economia do Porto (FEP). Sempre me interessei bastante pelas questões macroeconómicas, mas entendi que só após a minha licenciatura estaria preparado para abordar estas questões com o rigor que se lhe exige. Gosto de fazer análises credíveis e baseadas sempre em estatísticas credíveis, como irá reparar ao visitar o blog.

PS: o link do blog é http://ecoseconomia.blogspot.pt/

© Piedade Araújo Sol disse...

e sempre voltam ao cais

(inovadora demais a sua poesia.)

beij