quinta-feira, 24 de maio de 2012

SEM MURAIS




Colho-te quando tudo
está tão pardo no cais

Colho-te nos lábios a fragrância
de braços abertos
como se nestas rotas a maresia
escrita à mão
fosse metáfora
arremesso de palavras
e sons

Colho-te as velas recolhidas
à pergunta de um sopro
barcos ancorados
a gatinhar nos mastros

até o grito se organizar
em coro
e as águas correrem livres
sem murais


37 comentários:

BRANCAMAR disse...

Belo, como sempre, numa conclusão apoteótica.

Beijos

elvira carvalho disse...

Correndo o risco de me repetir.
Gostei.
Um abraço

trepadeira disse...

Hão-de correr,livres como o povo ou,o povo livre como as águas.

Um abraço,
mário

Isabel disse...

Muito bonito o poema e acho a escultura da foto espectacular.
Um abraço

Lídia Borges disse...

Uma poesia que prima pela originalidade, pela força imprimida na cuidada escolha dos verbos, pela eloquência e actualidade das mensagens.

Estrofes para desdobrar em permanente atenção.

L.B.

ana disse...

Mar arável,
O poema é muito bonito e respira serenidade.
Bj.

jrd disse...

Colher a poesia à flor das águas.

Abraco

nacasadorau disse...

Maravilhoso.

Beijo

Graça Sampaio disse...

Cheia de esperança a última estrofe! Oxalá!

Secreta disse...

Uma liberdade tão dificil de sentir, por vezes.

Beijito.

P/s: se não tiveres recebido convite para poderes ler o meu blog, que tive de colocar privado....por favor envia-me email para secreta@simplesnet.pt

Rita Freitas disse...

Lindíssimo!
As palavras "correm livres sem murais" :)

Beijinhos

OceanoAzul.Sonhos disse...

Que se deixe colher a simpicidade e a beleza de ser sonho e palavra.


abraço
cecilia

Carlos Ramos disse...

Árdua a tarefa do poeta. Belo poema

© Piedade Araújo Sol disse...

original e muito bela a sua maneira de escrever poesia.

muito bom.

um beij

Maria João disse...

Aqui os gritos crescem,enquanto as águas procuram libertar-se dos murais.

Um abraço

carlos pereira disse...

Labirinto sem muros, para todos os Homens e Pensamento livres.
Abraço Poeta.

heretico disse...

rasgar nevoeiros e semear tempestades...

... até ao frémito dos lábios. e do grito.

abraço, caro Eufrázio.

Pata Negra disse...

Hoje é dia de gritos organizados. Irei de braços abertos à procura da poesia das pessoas.
Um abraço em coro

teresa dias disse...

A foto é lindissima e o poema maravilhoso.
Obrigada!

Fê-blue bird disse...

até o grito se organizar
em coro
e as águas correrem livres
sem murais

Assim espero. LINDO!

beijinhos

AFRICA EM POESIA disse...

Mar
Linda a poesia .saudades.
deixo um beijinho e convido.te para visitar o meu blogue novo Dedais da Lili.

Consenso é palavra bonita
Que muita gente pergunta
O que dizer?
Pois consenso é muitas vezes
Apenas uma palavra de dicionário


Consenso - certeza
Consenso - equilíbrio
Consenso - anuência
Consenso - Tanta coisa...


Mas no dia a dia
Não sinto nenhum consenso,
ao nosso redor...
E é pena...
Pois consenso...
É apenas o pouco ou nada.
Ter ideias e partilhá-las
E respeitar as do outro lado
E nas duas partes
Surge o consenso!
Que afinal...
É tão fácil de conseguir!...
É só preciso... querer!...


LILI LARANJO

Ana Paula Sena disse...

"como se (...)a maresia
escrita à mão
fosse metáfora"

precisamos de metáforas assim!

um abraço :))

Donagata disse...

Vamos deixar correr as águas, sim, esses coros de gritos...
Muito lindo.

Belos e Malditos disse...

Maravilhoso, a escolha das palavras para o dizer tal como és.

beijo

Sara disse...

Há que combater a depressão e o cepticismo, com palavras e, sobretudo, com obras.
Um abraço e boa semana.

manuela baptista disse...

à pergunta

será menos pardo o cais


um abraço

Justine disse...

A poesia e as emoções em voo livre...como tem de ser!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Já disse diversas vezes que não sei comentar poesia, por isso a única coisa que digo é que este poema me tocou forte- Muito forte!

VÉU DE MAYA disse...

Belo e forte.poeta.

Abraço,

Véu de Maya

Fa menor disse...

Belo! como um abraço que acolhe para libertar.

Cadinho RoCo disse...

Toda manifestação de carinho sugere acolhimento.
Cadinho RoCo

Nilson Barcelli disse...

Deixemos os murais da nossa desgraça e gritemos, pois claro.
Excelente poema, bem sublinhado pela foto.
Abraço.

Marta disse...

Sem fronteiras, ser livre, hoje e sempre.

MAR disse...

Muy bello tu blog y tus poemas.
mar

Sonhadora disse...

Poeta

Que as águas corram livres, como as palavras neste poema.

Beijinho
Sonhadora

mundo da lua disse...

SOMENTE SENTINDO O GOSTO DO SEU POEMA
ADOREI.

mfc disse...

Uma recolha absolutamente terna!

Um abraço, depois de um afastamento forçado cá estamos de novo!