sexta-feira, 23 de março de 2012

NOS LÁBIOS DA AREIA



                                                         Desenho de ÁLVARO CUNHAL


Ao entardecer
um bando de pássaros
desenhou
na palma das nossas mãos
uma vida inteira

e tudo parecia azul
no seu linguajar
mais alto que o voo

e assim aconteceram
duas linhas paralelas
prolongadas
que se encontram
aonde os olhos não mentem

Ao fim da tarde
tudo é mais claro

até o branco
nos lábios da areia



 

48 comentários:

Maria disse...

No final da tarde de hoje foi tudo mais rubro. À espera do Dia Novo!
E o teu poema é um encanto!

Beijo.

www.amsk.org.br disse...

Onde os olhos não mentem é lugar definitivo para a leitura dos pássaros.

bjs

folha seca disse...

Caro Eufrázio
Este é daqueles que não dá para mexer, para não estragar. Belo!
Abraço
Gostei da gravura.
Rodrigo

Vítor Fernandes disse...

E nós a encontrarmos a beleza das palavras no infinito cruzar das paralelas.

Mirian Martin disse...

Delícia. :)

mundo da lua disse...

Queria eu ser um pássaro
Talvez uma gaivota...
Para quando voar no azul do céu
Poder olhar o azul do mar

Bjo.

carla disse...

Os olhos é o espelho da nossa alma e é neles que vemos o que vai dentro da alma de cada um ,os olhos não mentem! lindo poema

Bom fim de semana ,beijo

Carla Granja

http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt/

trepadeira disse...

Linda gravura.
É à noite,e na noite,que tudo se torna mais claro.

Um abraço,
mário

Isabel disse...

Achei muito bonito.
A imagem também.

Bom fim-de-semana

gina henrique disse...

Obrigada pelo poema que pela sua beleza também clareou o meu final de tarde :)
A gravura ainda que me seja familiar é sempre muito agradável rever.
Um bom fim de semana.

mfc disse...

Um bucolismo terno imbui todo o poema.
A final sorrimos de conssolação.

Um abraço amigo.

Pata Negra disse...

Bonito. Certo. Azul. Esvoançante. Geométrico. No entanto, nunca beijarei os lábios da areia, sempre me fez impressão a areia nos dentes - mais do que nos sapatos!
Um abraço azul

lino disse...

Belíssimo!
Abraço

Fernanda disse...

Estremeci.

Lindo!!!

Beijo

BRANCAMAR disse...

Meu amigo,

Por onde começar? Pela arte do poema ou pela da imagem?
Duas artes aqui tão bem conjugadas por dois artistas da liberdade.
Falar do poema não sei sem lhe estragar o encanto com que me encheu a alma.
Um dos que mais me disse e tem tantos...!

Beijos

ana disse...

Que beleza, Mar Arável!

Os desenhos de Álvaro Cunhal são inconfundíveis e bebem muito bem as palavras do poema.

"Duas linhas paralelas" a realidade profunda vista com beleza.
A perpendicularidade está lá no cruzamento do olhar, na cumplicidade. O poema é sereno, tranquilo como a eternidade de um momento feliz.
Beijinhoe parabéns.

Mel de Carvalho disse...

O seu poema, Eufrázio, está à altura do desenho que o encima. A beleza da forma, a alma no conteúdo.
Que dizer? Belíssimo. Obrigada.

Abraço amigo,
Mel

Baby disse...

Que poema pleno de esperança!
As palavras sugerem imagens de uma beleza rara e enternecedora.
Beijo.

Graça Sampaio disse...

Que paz! Quase se ouve os som do bater das asas.

Muito bonito.

elvira carvalho disse...

Gostei.
Um abraço e bom fim de semana

jrd disse...

Belíssimo! Como o desenho da espuma das marés.

Lídia Borges disse...

Agora sei da esperança contida nos gestos de duas linhas paralelas quando se prolongam.

Espuma e maresia...


Um beijo

OceanoAzul.Sonhos disse...

Lindíssimo!

abraço
cvb

manuela baptista disse...

falar

é quebrar um grão de areia


guardo,
que a linha da vida é desenho de pássaros


um abraço

Sara disse...

Tudo belíssimo. Tudo harmonioso e sintónico.
Obrigada, Eufrázio!

Vento disse...

Gosto de Álvaro Cunhal por ser uma pessoa integra e este seu desenho é lindo!
A tua metáfora de hoje [como todas, aliás], é belíssima, mais parece uma terna queixa a ele...

No entanto
o deserto é imenso
aqui e ali
oásis
fontes para matar a sede.

Abraço, Mar.

Sopro Vida Sem Margens disse...

...
Um entardecer com serenidade suficiente para esperar que cada dia
aconteça dentro de nós.



Abraço-te Poeta
Boa semana

MENSAGENS AO VENTO disse...

________________________________


..."aonde os olhos não mentem..."Penso que para o bom olhar, os olhos não mentem nunca!

É sempre gratificante vir ler os seus poemas...

Beijos de luz e o meu carinho!!!


Zéli(MundoAzul)

_________________________________

:.tossan® disse...

Lindíssimo! Suave, mas profundo! Como sempre.

Rita Freitas disse...

Belo este poema, apesar dos fins de tarde para mim terem um misto de serenidade e tristeza... :))
Boa semana

Justine disse...

Percurso a dois forte e nítido, como o é o desenho de Cunhal!

Secreta disse...

Belissimo poema.

Sandra disse...

Perfeito! Como um fim de tarde .
Beijinho

Sônia Brandão disse...

Tão bela essa vida desenhada... Pena que se desfaça como areia ao vento.

bj

AC disse...

O fim da tarde, talvez por ser breve, é o instante mágico das revelações...

Abraço

Maria João Brito de Sousa disse...

Às vezes fico assim, tímida, pequenina, sem voz... mas ela há-de voltar. Mais tarde, há-de voltar.

Abraço!

irene alves disse...

Tão belo este poema e junto a ele
um excelente desenho de Álvaro
Cunhal. Como ele tinha razão no
que dizia...
Que saudades das suas palavras.
Bj.
Irene

Fê-blue bird disse...

Um poema no momento certo que me fez tão bem.
Obrigada.

beijinhos

heretico disse...

o esplendor dos afectos. tecidos por teu olhar límpido...

grato, Poeta. meu amigo.

forte abraço

Sonhadora disse...

Querido poeta

Os olhos nunca mentem...poema e imagem sublimando um momento.

Beijinho
Sonhadora

mariam disse...

Tão belo! Maravilha(da).
Beijinhos
mariam

OUTONO disse...

...confesso-me agradado. Muito!
Abraço!

Anna disse...

Saio de lágrimas nos olhos e sem dizer nada... Obrigada por me ter emocionado tanto... por ter feito bater mais forte o meu coração.

Maria Valadas disse...

Peço desculpa pela minha ausência nos comentários... Mas tenho- o lido.

Belo poema abraçado a um desenho, cujo autor permanece na minha memória como o libertador.

PS. Escolhi este poema para o meu Abrigo Poético.

Maria Valadas

Fernanda disse...

Voltei
"Ao fim da tarde"

Beijo

© Piedade Araújo Sol disse...

os pássaros sabem coisas que o Poeta desconhece.

muito bom, como sempre!

um beij

Maria João disse...

É sempre além, o voo dos pássaros e o olhar dos homens que acreditam na claridade... é sempre além.

Um abraço

Canto da Boca disse...

"Ali onde os olhos não mentem", que é dentro do coração do amor!