quinta-feira, 15 de setembro de 2011

AREIAS MOVEDIÇAS




Quando o sol projectou no chão
uma vara de sombras em movimento
para os barcos não se perderem

o natural ciclo das marés
tresmalhou a maturação dos frutos
agitou o latido dos cães
crucificou-nos a vida
mais que os sinos nos campanários
a rasgarem silêncios
e o teu corpo cansado
numa base de areias movediças
inventou uma ampulheta
para medir o tempo

e nós passámos a ser escravos

até um dia os barcos se perderem
no canto livre dos pássaros


37 comentários:

Eva Gonçalves disse...

Já tinha pensado usar esta imagem num texto meu, :)oh well... não sei quando foi que nos tornamos escravos do tempo, desde sempre somos escravos das Estações e da luz solar... cada vez temos mais amos... o tempo, é apenas um deles, mas implacável, porque é finito. beijo

Rogério Pereira disse...

Parto daqui
contente
confiante
ciente
de que hei-de encontrar um barco
perdido
num canto livre de um pássaro

não sei se era isto o que o poeta queria que eu sentisse, mas foi este o sentimento provocado (aposto, ele irá dizer-me que não queria nada)

Mar Arável disse...

ROGÉRIO

Ainda bem meu amigo

que tens o sentido do voo
Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

no tempo ou no destempo de mim
um dia
roubo o voo das aves
e
vou com o latido dos cães

mais um poema muito bom..

beij

folha seca disse...

"inventou uma ampulheta para medir o tempo e nós passámos a ser escravos"
Grande verdade, meu caro.
Abraço

blueangel disse...

Eu quero continuar a acreditar que o tempo não existe e continuar no canto livre dos pássaros...
A passagem do tempo não me assusta....mas sim a paragem do mesmo.

Um abraço

Blue

Mirian Martin disse...

Como diria meu irmão mais novo - 2012 está aí, vamos para a bagunça!
Acho que depois de 2012 nós descubramos outra data qualquer para colocar fim em tudo. ;)

R. disse...

E quiçá perdendo-se tenham por fim encontrado o que procuravam.

Um abraço.

Lídia Borges disse...

Escravos de um tempo que tem tanto de incerto como um relógio avariado. Resta-nos o canto... livre!

L.B.

ana disse...

Gostei muito.
O tempo, sempre ele a marcar-nos e a conduzir-nos!
Abraço. :)

Canto da Boca disse...

Será que o tempo é mesmo essa areia movediça, no/na qual nos debatemos e somos sempre tragados por ela/ele?

mfc disse...

Perder-se para se libertar...

BRANCAMAR disse...

E fica sempre a esperança de vivermos esse canto livre dos pássaros, que por vezes esvoaçam em alguns dos nossos dias à espera que aprendamos a voar...

Beijos
Branca

marlene edir severino disse...

Necessário perder-se
para poder se encontrar...

Abraço, poeta!

Sônia Brandão disse...

O canto livre dos pássaros além da medida do tempo.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Voemos, na palavra, naveguemos nestes mares em embarcações naufragadas mas o canto dos pássaros, esse canto onde as almas se encontram, permanecerá, para sempre em nós.

Sempre bom ler a sua poesia.
um abraço
oa.s

Mel de Carvalho disse...

até para sermos escravos de kronos é necessário a consciência, caso contrário apenas somos escravos da corrente que aguilhoa ...

meu amigo, sabe de quanto gosto de o ler.

abraço daqui
Mel

maria josé quintela disse...

tomara que os barcos se percam.




um abraço. grato.

Parole disse...

Um dia todos se perdem no canto livre dos pássaros.

Beijo

tecas disse...

Escravos do tempo...sem dúvida! Mas o tempo...não tira as asas do poeta,:)Lindo.
Abraço amigo e bom fim de semana.

joaquimdocarmo disse...

Voo co(n)m... sentido!
Abraço
Quicas

intimidades disse...

como sempre

magnifico

Bjinhos
Paula

Karl disse...

"até um dia" sempre me assustou.
o inevitável sempre me assustou.

Evanir disse...

Que a Paz e o Amor estejam sempre presente em sua vida Sinta o que você diz...
Com carinho! Diz o que você pensa. Com esperança! Pense no que você faz.
com fé! Faça o que você deve fazer. Com muito AMOR. Sabe..
Eu ganho força,coragem e confiança E me sinto Feliz Através de cada mensagem que
VOCÊ me envia Continue me abençoando com seu carinho OBRIGADA DE CORAÇÃO
Beijinhos com muito carinho.
Evanir

tossan® disse...

Poesia Pura! Lindíssima! Vasculhou lá no fundo! Bj

Magna Vanuza disse...

Gostei muito do seu blog...
permita-me seguir!
Magna Vanuza do Blog Flor de Poeta!

Flor de Jasmim disse...

Escravos do tempo sim!!! Mas recuso-me a não acreditar que existe o canto livre dos pássaros. Um relógio mesmo parado consegue estar certo duas vezes no dia.
Beijo bfs

Beatrice disse...

e o canto dos pássaros adormeceram os barcos.

antonio ganhão disse...

Não nos bastava todo esse tempo que passa por nós como ainda por cima lhe inventaram uma medida para que o possamos sentir a passar mais depressa.

OutrosEncantos disse...

eu li, Mar!
li-te milhentas vezes!
só me ocorre deixar-te um abraço, um abraço de tanto.

Justine disse...

Que esse dia chegue depressa!
Muito belo, este poema de raiva e esperança!

heretico disse...

um dia os barcos serão caravelas. na bela aventura da Vida.

abraços, meu caro Poeta

Virgínia do Carmo disse...

Às vezes voar compensa.

Um abraço, Eufrázio.

[Belo - sempre.]

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Ao invés dos barcos, cada vez mais nos tornamos reféns dos nossos medos. O tempo é um deles.

Licínia Quitério disse...

O dia há-de chegar. E nós, pássaros, cantaremos.
Abraço amigo.

Secreta disse...

Uma escravidão da qual não nos conseguimos libertar!
Beijito.

OUTONO disse...

...tempos de tempos, onde nos falta tempo ...para o apreender e sonhar...