segunda-feira, 18 de maio de 2009

SÓ PARA TE MOVER


Perco-me no sussurro branco
de uma folha de papel
onde tudo é mais azul
quando as flores e os animais
se desnudam
bailam
em tatuagens solares
nos nossos corpos

Reencontro as mãos sobreviventes
os passos assimétricos
o ritmo desgrenhado das marés

Penso risco traço
moldo rasgo esculpo
um grão de areia
só para te mover

formosa duna

38 comentários:

Tchi disse...

dançar com afecto.

hfm disse...

Belíssima duna!

martelo-polidor disse...

sabe bem traçar a brancura de uma folha.

mdsol disse...

Bailar com as palavras. Moldando o poema como o vento faz com a duna.

:))

gabriela rocha martins disse...

de mar arável te transformaste em

terra poeta maior


.
um beijo

anamar disse...

Lido e sentido...
:.))

isabel mendes ferreira disse...

"tango-me"...ou "a.valso-me"...

calo-me.




esta música tem asas. peculiares. reconhecíveis. Suas.


.


beijo de dançar a favor do poema.


obrigada Amigo.

Laura disse...

E ondulantes bailamos na música destas palavras.

Licínia Quitério disse...

A duna ao sabor do tango. Elegância e sensualidade no teu modo de poetar. Gosto.

Ana Camarra disse...

Adorava saber dançar o tango!

beijos

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mar Arável

O teu poema é lindo simplesmente. Não só por ser poema mas porque as dunas não deixam perder o caminhante.


Abraço

LUA DE LOBOS disse...

ai que me deixaste sem folego...
formosa duna... tango meu
xi
maria de são pedro

Anónimo disse...

...Perco-me
...reenconto-me
...penso !... logo, existo!

... ao ler o teu "doce" Poema !

Ab.- E.L.

CCF disse...

Tem música lá dentro.
~CC~

Graça disse...

"o ritmo desgrenhado das marés"... gostei. E moves... sem dúvida!


Beijo meu

Maria P. disse...

Que dança...

Beijinho*

Anónimo disse...

Ah! Quantos grãos...
Tantos grãos de areia
que te dão forma
que te dão voz
que te movem
que te veêm
que te apludem
que te esperam...
tantos, tantos, tantos...

princesa

São disse...

um poema muito lindo, uma foto bonita.
Pena eu não apreciar muito o tango.
Um abraço, amigo.

maré disse...

traço-me

desgrenhada
e sedenta

esculpo-me
de corpos solares

__sou duna

_____
um beijo Eufrázio

Teresa Durães disse...

uma dança extremamente sensual

Fa menor disse...

Folha de papel...
música...
bailado...
riscos de mãos feiticeiras.

alice disse...

e que bom é saber dançar / escrever assim :) um beijinho, filipe.

Meg disse...

Penso risco traço
moldo rasgo esculpo
um grão de areia
só para te mover

formosa duna
Lindo!

Um abraço

as velas ardem ate ao fim disse...

gosto tanto de dunas...

bjo

Justine disse...

...às vezes basta um sopro, às vezes uma leve melodia!

heretico disse...

poema esculpido. amorosamente. no corpo e no ritmo das marés.

formosa dádiva. na escalada da(s) duna(s)...

abraço, Poeta.

firmina12 disse...

veja se entende o motivo que me faz sentir banal

Donagata disse...

Eu adoro tango! Adoro dançar!

E, como tal, dancei ao som de folhas azuis, coberta por tatuagens solares, enrolei-me, sensual, no ritmo desgrenhado das marés e, por fim, exausta, descanso na duna que esculpiu.

Só possível num poema seu...

utopia das palavras disse...

Uma escultura de maré...a formosa duna!

E as tuas mãos de poeta...!

Beijo

Marta disse...

ser duna assim. é milagre.

lindo.

gabriela rocha martins disse...

continua assim perdido ...
até porque estás ,expressa mente ,proibido de te encontrares - dixit!



.
um beijo

Sandra Fonseca disse...

É um poema de alta intensidade e beleza.
Cumprimentos.

Paulo - Intemporal disse...

lind.íssimo.

poeticamente perfeito.

um abraço.

Maria Faia disse...

Quem assim canta a vida,
sente e vive, bailando, sorrindo,
ao compasso dos dias de cada dia,
ao ritmo de uma marcha vivida.

Bom Fim de Semana,
Maria Faia

jrd disse...

Nunca é tarde para aqui chegar e reencontrar a duna, feita poema.

legivel disse...

... foi assim que ele lhe falou. Com o coração nas mãos.

Formosa, a duna estemeceu e deixou-se levar. Estava escrito que um poema tinha mais força que uma grua.

Adriana disse...

um grão de areia só para te mover"...ah, q lindo! adorei o final especialmetne.

Luís Galego disse...

obra-prima!