sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Á CONQUISTA DO IMPOSSÍVEL

MAGRITTE- 1928


Anoitecidos madrugámos
timbres de outros mares

Aparentemente enxutos
de tempestades
mãos enclavinhadas
por sobre a mesa
e o olhar lúcido
numa migalha de pão
comida por um pássaro
colhemos o aroma do silêncio
e em voz baixa
participámos clandestinos
no rebentar prematuro
das camélias

Eternos partimos
à conquista do impossível
até a chuva desvendar
todos os segredos da água
para que tudo aconteça

28 comentários:

Maria disse...

Ousar o impossível
porque a água é vida!

Bom Ano!
Beijos

isabel mendes ferreira disse...

não sei comentar!

acredita?


espero que sim.


veio um pássaro e levou-me as palavras.


fico. à chuva.


sem segredo. mas encantada.

tulipa disse...

OLÁ

Estamos todos juntos em oração pela minha sobrinha.
Sofro muito porque a m/sobrinha não quer que a vamos visitar...
não consigo compreender.
Queria tanto estar junto dela.

Beijos

jrd disse...

Cais de chegada e de esperança. Tens força de marinheiro. Há-de acontecer!
Um abraço

Vera disse...

Adorei o poema.
É possível conquistar o impossível nessa eternidade.
Neste poema sublinharia praticamente todos os versos. Li, reli e é um daqueles poemas que nos entra na alma.

Beijinhos e um feliz 2009

Graça Pires disse...

Para que tudo aconteça: partir à conquista do impossível. Belo o poema e a mensagem. Um abraço.

mdsol disse...

Gosto da noção de ideal!
:))

Donagata disse...

Lindíssimo.
Quase estou tentada a dizer como a Isabel Mendes Ferreira:
Não sei comentar!
Não sei se gosto mais das mãos enclavinhadas por sobre a mesa,
do olhar lúcido,
do colher o aroma do silêncio,
se dessa partida eterna à conquista do impossível.
É balsâmico.

Um beijo e um bom ano

utopia das palavras disse...

Tudo acontece quando te leio desta maneira!

Se a chuva
desvendar
os meus segredos
e a água
resgatar
todos os medos
eu serei fonte
ou crisálida
serei eu...
arrebatada...!

Um beijo

Meg disse...

Muito belo, o poema...

...Eternos partimos
à conquista do impossível
até a chuva desvendar
todos os segredos da água
para que tudo aconteça


Bom Ano Novo!

Um abraço

Justine disse...

Empolgante o teu poema. fico-me, em silêncio, lendo-o outra e outra vez, até que o pintor acabe a impossível tarefa de criar um braço de mulher

maria josé quintela disse...

e eu acredito nessa eternidade.




sim!




gostei muito. muito mesmo.



beijo.

e-ko disse...

feliz ano!

Miosotis disse...

... um pouco mais triste do que costumavas...
Mas belo! Poderoso!

Magritte... sempre expressivo!

hfm disse...

Desvendando o impossível!

Um bom ano! Um abraço.

Cata-Vento disse...

Partir à conquista do impossível vale sempre a pena. É que sempre que o homem quer, não há impossíveis.

Um abraço

maré disse...

reinventar as mãos na lucidez da luz
.
.
.

eternos partiremos
até à utopia dos
im possíveis

______

belíssimo
.
um beijo...nos segredos da água

mariam disse...

Eufrásio,

que bonito quadro! e não me refiro ao de Magritte (que também o é!) mas à vertiginosa tela de palavras feita. obrigada por todas as partilhas.

renovo os votos de um BOM ANO!
felicidades.

um abraço em forma d'arco-íris floral e o meu sorriso :)
mariam

JustMe disse...

Que nada seja impossível para ti...
Gostei muito...

Abç

JustMe

LuzdeLua disse...

E que tudo seja conquistado
Muito belo
Deixo-te um abraço com carinho e bom inicio de semana.
Bjs

Teresa Durães disse...

mas enquanto procurar-mos o impossível não estamos a morrer

Adelaide Coelho disse...

Notável o poema.
Bom ano.

heretico disse...

que as Camélias rebentem. todos os dias. e sejam seiva. e sémen...

... para que tudo aconteça!

Belíssimo, meu caro Poeta!...

Grato, meu amigo.

abraços.

Anónimo disse...

... até à concretização da n/UTOPIA!!!...irmão, companheiro, amigo... LINDO o teu "escrito"!!!

...um forte abraço!|

QUELINO!

AnaMar (pseudónimo) disse...

Partir à conquista do impossível...
E que se revelem os segredos. Da água. Pura

gabriela rocha martins disse...

txxxxxxxxiiiiiiiiiiiiiiiiii!

não resisto "impune" a este teu poema


.
um beijo

Laura disse...

Gostei.
Um bom ano, com muita saúde e... palavras!

Anónimo disse...

Clandestinidades
Quem as não tem
Aqui e além
Hoje ontem e amanhã
As necessárias
As (im)possíveis
Também!!!

Mais uma vez está de parabéns pelo seu excelente poema.

princesa