quinta-feira, 2 de outubro de 2008

QUE A SOMBRA SE REBENTE

Afrodite
Neste tempo sussurrado
nem todas as folhas
caem no chão

algumas fremem hasteadas

em tranças

de belas cabeleiras

outras existem

que de tão pálidas

se levantam

movidas por um sopro

Neste tempo sussurrado

ergo-te à luz e ao vento

e deixo que a sombra

se rebente


19 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

bom, vinha por aqui, sacudindo os cabelos num caos desordenado e eis que "caio" na claridade desta sombra. assim sendo acho que não sei comentar.
BELO!

deixo um sussurro.


____________________soprado.

boa noite.

intimidades disse...

lindissimo

Jokas

Paula

éme. disse...

Assim fizesse a vida toda, erguer à luz e ao vento, deixar crescer, correr, voar, seguir, ir, partir...
Regressar.
Mais forte, mais leve,
Pleno!
É mesmo bom, chegar aqui e
LER
:)

Justine disse...

...e que, no frémito da rebentação, surja a luz sussurrante

batista disse...

ante o clarão desses versos (teus) a manhã ganhou um colorido diferente.

deixo um abraço fraterno.

Caçadora de Emoções disse...

Magnífico!
Quer a imagem, quer o texto...

Um sorriso :)

hfm disse...

num belo sussurro.

mdsol disse...

E qu ebom é vir ler e fruir estas palavras!
:))

maria josé quintela disse...

da sombra rebentada



talvez a lucidez...



muito bonito!



um beijo.

JOSÉ FANHA disse...

Um grande abraço poeta.

Às vezes venho em silêncio e fico a saborear os teus veros.

Hoje apeteceu-me que soubesses que ando por aí.

Outro grande abraço, poeta. Até já.

JFanha

Mateso disse...

O tempo que tantas tranças de tons doces no chão veste...
Belo.
Bj.

jrd disse...

Porque a poesia é também uma árvore no dealbar do Outono.

Maria P. disse...

É sempre difícil comentar poesia, e aqui a palavra que me surge sempre é: lindíssimo...

Um abraço*

Anónimo disse...

Outono da vida!
Retrato poético das fragilidades
presentes na mãe natureza
Viva ou morta
Mais ou menos ténue
Uma que (renasce)
Outra que perece
na imagem da "sombra"

princesa

Graça Pires disse...

É outono. A luz e o vento embalam as folhas e o olhar.
Um abraço.

vida de vidro disse...

Apenas a saborear as palavras. Que mais dizer? Um abraço

polidor disse...

as sombras e as folhas caídas têm um destino semelhante...

heretico disse...

poema pleno...

abraços, Poeta.

Elipse disse...

Também estou no lugar dos deuses; bebi-lhes a imagem há muito, no silêncio da contemplação.
Depois pedi à razão que não me abandonasse; daí para cá perco-me na beleza das palavras escritas e gosto de as encontrar bem semeadas.
:)