segunda-feira, 29 de setembro de 2008

UM ANJO À SOLTA

Amanheces neste jardim de silencios
onde nada è exacto
nem a viagem que subscrevo
para agitar os pássaros

Talvez por isso vindime
até ao mosto
só para te nomear

mas quando fluis a voz
no deslize da chuva
e o vento em remoinho
te circula pernas acima
voo
demando os barcos
solto-me das palavras
neste jardim de silencios
tão verdes e penteados
onde ausente na curva dos dias
rente à fala
vais sepultando o corpo
a cantar
como um anjo à solta

Amanheces sem alegria mas cantas
e eu viajo ardendo
mesmo por cima das videiras
só para te ouvir cantar

21 comentários:

Maria disse...

Vindimando a poesia....

Beijo

intimidades disse...

lindissima imagem para um lindissimo txto

Jokas

Paula

samuel disse...

O que não faríamos para ouvir cantar um anjo... à solta?!

isabel mendes ferreira disse...

"rente à fala
vais sepultando o corpo
a cantar
como um anjo à solta!"


_____________cito-O.



na viagem que a curva dos dias sempre acrescenta.



.



beijo.

Teresa Durães disse...

belo canto!

Justine disse...

Anjo? Ou demónio, ou sereia, já que "amanheces sem alegria mas cantas"...

pin gente disse...

em pouco tempo cantará alegremente
espantará tristezas e silêncios
no aroma ainda verde deste outono


um abraço
luísa

Maria P. disse...

Que lindo, serenamente belo...

Um abraço*

jrd disse...

As vinhas da (tua)poesia desnudam-se quando Setembro amanhece.
Belo poema!

CCF disse...

Gosto de anjos à solta!
~CC~

Utopia das palavras disse...

Mas... cantas e eu amanheço só para te ouvir cantar!

Lindo!!!

Um beijo
Ausenda

heretico disse...

poema de mosto maduro...
muito belo.

abraços

Ana Paula disse...

Só a poesia consegue reconhecer os anjos, quando eles andam à solta! :)

Madalena S. disse...

Caro amigo,
Setembro aí está com o seu tempo de vindimas e com as suas palavras em cachos dourados, prontas a serem bebidas.
Gosto deste, como do anterior. E de muitos outros antes.
Entretanto, lá pelos meus lados, dei uma valente bordoada ao Engenheiro.
Um abraço.

Licínia Quitério disse...

O canto libertador que esperamos.

Graça Pires disse...

omo se fora um anjo...
Agitar os pássaros.
Soltar-se das palavras.
Um abraço.

batista disse...

teu canto, teus versos... dizem-me muito.

valeu, mesmo!

deixo um abraço fraterno.

Léo Scartezzine disse...

Tenho um carinho especial pelos blogs portugueses. Obrigado pelo carinho com o nosso blog. Com os devidos créditos postamos um de seus escritos. Vamos lá?
www.bloguesuite.blogspot.com

Caçadora de Emoções disse...

Anjo... Gosto de acreditar que o meu Anjo da Guarda anda por perto para me proteger...
Óptima escolha de imagem num poema a transbordar de beleza e emoções.

Um grande abraço,

Lena disse...

gostei de andar nesse jardim silencioso
e ouvir cantar esse anjo

No meu blog, tenho la um pequeno pedido, gostaria se quizeres que participasses...obrigada

um beijo

Anónimo disse...

Quem voa é o leitor
que viaja consigo
no seu "jardim de silêncios"
por entre tanta "criatividade"!!!!
Em tempo de outonos verdes
quantos
por esse Mundo fora
"amanhecem sem alegria mas cantam"....quantos!!!

princesa