segunda-feira, 6 de outubro de 2008

O VINHO DOS NOSSOS PÉS

Malhoa- Praia das Maçãs
Irrompem fios de música
rio abaixo
folhas secas que rugem
inclinadas nos teus olhos

As palavras colidem

quando circulam mansas

no espanto da paisagem

mas os pássaros permanecem soltos

na nossa ilha

Frente a frente

aqui nos sentámos ao avesso

como estátuas longínquas

só para inalar as pautas do silêncio

Aqui nos sentámos

para que tudo aconteça

mesmo de tão pouco

se rasgue em claridades

este tempo inabitável

Aqui nos sentámos

só para respirar

sabendo que os apeadeiros

não se repetem

mesmo quando em Janeiro

provarmos de novo

o vinho dos nossos pés


23 comentários:

Maria disse...

Saboroso o vinho vindimado assim...

Beijos

mariam disse...

este poema é um sonho, a imagem é uma maravilha,
viajei até essa praia, depois fui até à grande, conheço-as bem...onde os pôr-de-sol são fantásticos, é Outono, senti o cheiro a mosto, e o sol a espreguiçar-se ma minha pela antes de se afundar na água...

adorei o poema

boa semana

um grande sorriso :)

mariam


(conhece a praia grande? tem uns barzinhos de praia com espreguiçadeiras... aquilo que escrevi, é real...e bom)

jrd disse...

Ritual de Outono onde adivinho a sede e o vinho.
Muito bom.
Abraço

gabriela rocha martins disse...

a vindima da alma

feita mosto


regressada de um período brando
[ascético ]

saúdo.TE em Malhoa


.
um beijo

intimidades disse...

fabuloso

adoro oq ue aqui poes

Jokas

Paula

Mateso disse...

No correr do bago se faz o liquido. No correr da palavra se faz o poema.
No correr do bago ,mais da palavra fazem-se os sonhos da gente, da nossa gente.
Bj.

Madalena S. disse...

A vida tem destas coisas! Pequenas surpresas para as quais nunca estamos completamente preparados. Esta imagem, que reproduz uma obra do Malhoa, tenho-a eu para aí numa das minhas gavetas cheias de papéis, recortada de um calendário de parede antigo. Eu teria os meus 10 anos, talvez, e achei a imagem tão bonita que a recortei e guardei religiosamente. Ainda hoje a tenho. Ainda hoje é das minhas preferidas.
Imagine-se a boa surpresa quando a encontrei aqui, ilustrando palavras que dizem bem mais do que admitem dizer.
Fiquei feliz.

Laura disse...

Um beijo

Justine disse...

Prenúncios do que virá(sequer apenas sonhado) nos sinais de hoje, sejam eles folhas secas ou pássaros soltos, o que é quase o mesmo

éme. disse...

"... os apeadeiros
não se repetem"... (pois é.)
Mesmo que lá retomemos, iremos outros, renovados ou um pouco mais tristes, talvez cansados.
Não se repetem, os apeadeiros,
Sinta-se mais forte o aroma do vinho.
Levante-se mais largo o gesto,
Brindemos a
"este tempo inabitável"
"para que tudo aconteça" !

(gosto é mesmo de misturar as palavras e deixar ir as ideias, à solta, ficar presa!)

Mié disse...

a vida ...vindimada

com fundo de Sintra e Malhoa.


um beijo

vida de vidro disse...

Poema belíssimo, sereno, outonal quase. Adorei. **

maré disse...

"aqui nos sentámos frente a frente
(...)
sabendo que os apeadeiros não se repetem)

belíssima imagética...

intenso o vinho na vindima da palavra.

obrigado, por ela.

eu respiro-a, neste à beira- vouga, onde o olhar se semeia no mar sem fim, no ouro do milho, no maduro da luz.

por isso, no abraço, o sabor salgado...

maré

isabel mendes ferreira disse...

não desisti.



apenas continuo a voar____________:)

beijo.

Graça Pires disse...

Um vinho sempre novo...
Belo poema.
Um abraço.

Anónimo disse...

"...fios de música..."
Bonito!!!!

Colidem devagar
para se cumprimentarem afectuosamente
na presença dos pássaros
em liberdade
naquela ilha de verdade

Olhos nos olhos
silenciosamente
erguem-se taças
brinda-se ao mosto
até que
a prova do vinho novo
aconteça

princesa

Utopia das Palavras disse...

Vindima da vida...
nesta tua pauta de silêncio!

Lindo


Beijo
Ausenda

heretico disse...

artesão de palavras belas. como o nectar de vinho. raro...

abraços

Sérgio Ribeiro disse...

a vindima, a uva pisada, o mosto, a curtimenta, a prova. A vida.

Como de costume, passei, saboreei. E, hoje, deixo-te umas palavras. Também de agradecimento pelos teus desejos de boas vindas à península de Setubal.
Um abraço grande... e até já.

Ana Paula disse...

É tão aprazível a ideia de nos sentarmos assim, calmamente, apreciando a paisagem...!

A imagem do quadro de Malhoa: magnífica!

Bom fim-de-semana :)

polidor disse...

poesia? é outra música...

zambujal disse...

... em Janeiro?, por aqui já se fala de água-pé!

Caçadora de Emoções disse...

A Praia das Maçãs é minha conhecida... Fez-me voltar atrás no tempo.
Excelente imagem, palavras que têm o poder do encantamento, ficamos quase sem saber o que dizer.
Adorei!

Um grande sorriso :)