segunda-feira, 1 de outubro de 2007

CLARIDADES

foto de Gamini Kumara








Canta a asa que voa

e desmaia

na fenda solúvel

das palavras



Canta e colhe

o perfume lúcido da alvorada

o fogo mais íntimo da pele



Canta

e enquanto canta

oiço no meu búzio

de mãos nos ouvidos



um crepitar de areias e faúlhas



Canta

e enquanto canta

respiramos outras claridades




19 comentários:

samuel disse...

Felicidade é poder ouvir cantar assim!

Bandida disse...

música viva!




beijo mararável!


B.

sr disse...

respirando estas claridades, até eu era capaz de fazer belos poemas...

Um abraço

herético disse...

bela a lucidez das alvoradas, Poeta!

abraços

jrd disse...

a "alba" ao fim da noite. Muito bom.

pin gente disse...

que lindo cântico.

Luís Galego disse...

respira-se de facto poesia e sensualidade...

Graça Pires disse...

"Canta e colhe
o fogo mais íntimo da pele"
Gostei. Um abraço.

Anónimo disse...

o estalar de uma clara claridade sem idade.


_______________________



um beijo.


/piano.

Licínia Quitério disse...

Belo canto de carne e claridade.

aquilária disse...

o canto do fogo, crepitante . pele sobre pele.

isabel victor disse...

Muito bonito ...

Abraço essa imensa "claridade".

Isabel

vermella disse...

Ben bonita esta fusión tan sensual de pel e música da alma.
parabens poeta, e beijo.

pin gente disse...

vim agradecer a tulipa
obrigada
luísa

isabel mendes ferreira disse...

qual? o engenheiro?

nem pensar!!!

o Outro?

até sim.


mas ambos sabemos de que metáfora eu falara, não?

:)))))))))))

beijo.

de bom dia.

Gi disse...

Vou-me embalada neste teu "canto".
Neste teu respirar

um beijinho

Isabel-F. disse...

"...
Canta

e enquanto canta

respiramos outras claridades
"

parabéns por este canto. ficou lindo.

bjs e bom fim de semana

Anónimo disse...

Lindo poema. A foto é divinal. A nudez da terra nos troncos e corpos onde a natureza é-nos plena. Lindo. Obrigada.
Sofia

Donagata disse...

Um doce canto. Um verdadeiro encanto. Parabéns, como sempre...