sexta-feira, 26 de outubro de 2007

AVIÕES DE PAPEL










Neste país de pastores e rebanhos inventados



ousas para lá do olhar



com os teus olhos



projetar sombra na luz





Ousas ladrar



no equilibrio assimétrico



das estrelas





Talvez por isso cão



quando ergo o poema



e o lanço do mastro mais alto da vida



só as crianças



fazem do teu corpo



aviões de papel








26 comentários:

Cãocompulgas disse...

Muito, mas muito bonito.

mnemosyne disse...

...e no mastro a força das palavras
Um beijo

Maria disse...

Ora aqui está um cão muito inteligente.....

samuel disse...

"só as crianças
fazem do teu corpo
aviões de papel"

Muito bonito!

Eu próprio, que já não sou exactamente uma criança...

Mateso disse...

Se apenas e somente eles se manifestam...sejamos pois cães do nosso destino.
Bjs.

hora tardia disse...

das estrelas e do fogo fátuo.


mas aqui não.


do fogo. que ilume. e redime.



____________________.

Entre linhas... disse...

O sonho das crianças que se transformam em grandes estrelas.
Bom fim de semana
Bjs Zita

Letras de Babel disse...

e toda a palavra, e todo o pensamento onde estejam crianças a voar de risos abertos


...fazem poemas.



bjs

un dress disse...

falavras assim

dessa rara fulguração

ainda acesa nas crianças

e nos animais

/ tão limpos...!




beijO

Licínia Quitério disse...

Cão sujeito e objecto do poema.
Apetece-me dizer que o DIQUE se confunde com INSPIRA-CÃO.

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Gostei muito.

Luís Galego disse...

este podia ser o poema de abertura do livro de poemas que o poeta Eufrázio Felipe terá que publicar muito em breve...este é um dos poemas que como dizia O'neill permite tropeçar de ternura. Editoras, onde estão? adormecidas? reparem na voz e na escrita do poeta...

Sophiamar disse...

Um poema de que gostei.Ergue o poema e deixa que as crianças façam aviões de papel.

Beijinhos


Bom Domingo!

Maria P. disse...

É preciso ousar.
Excelente!

Um abraço*

vida de vidro disse...

Porque só as crianças e talvez os animais (não tocados pela impureza de viver) podem seguir o poema. **

Graça Pires disse...

Aviões de papel... Como é bom ser criança e ter um cão...
Um abraço.

hora tardia disse...

(obrigada).





retribuo. num avião de espuma.

teresamaremar disse...

Avião ou barco de papel... evanescentes serão,
que importa, se o sonho será mais alto e mais além...


Uma boa semana

Vieira Calado disse...

A meu ver este país é um país de
faz-de-conta, como os aviões de papel, mas também de mandantes que são apenas tigres-de-papel.
Um abraço

Gi disse...

"Only the Innocent Heart is able to fly". Talvez por isso a criança e o cão se entendam tão bem com os aviões de papel . Com poemas lançados ao ar para materializar os sonhos.

Um beijinho

Maria Clarinda disse...

Gostei do teu poema, gostei da coincidência de ter estado este Fim de semana a ensinar aos meus netos a fazer...aviões de papel.

C Valente disse...

Simples e bonito. gostei
saudações amigas

herético disse...

há horizontes que apenas as crinças ( e os poetas ) alcançam...

o poema? belo.

abraços

Bichodeconta disse...

Sempre tão interessante o que nos óferece..parabéns.

Bruna Pereira disse...

Sou um risco de avião...
Voei.

Libelinha* disse...

=)

As libelinhas também têm os seus truques.
Vá de descobrir ´?