segunda-feira, 29 de outubro de 2007

MEU CÉU MEU CHÃO

salvador dali










ONDE SE GERA A METAMORFOSE



ARDE NO FOLGOR DO VOO



O PERFIL DA LUZ





ONDE SE GERA A METAMORFOSE



ALUMIAM AS PEDRAS



QUE DEVAGAR SE AMONTOAM



PARA ATIRAR AOS PÁSSAROS



INTANGÍVEIS





ONDE SE GERA A METAMORFOSE



ESTÃO OS OLHOS QUE TRAGO



AO VENTO



SEM DEIXAR RASTO



SEQUER UMA CINZA





ESTE MEU CÉU



É O MEU CHÃO





































17 comentários:

Alexandre disse...

Onde se gera a metamorfose... gera-se o inexorável sentido das palavras....

Um abraço!!!

Maria disse...

Porque a metamorfose...
... se gera aqui!

Abraço

herético disse...

gosto do chão assim - iluminado de pedras (vivas) em metarmorfose...

belíssimo poema.

abraços

Graça Pires disse...

Um céu feito de luz, de vento, de asas. Um chão onde se gera a metamorfose para ser pássaro, brisa, poeta...
Um abraço.

CCF disse...

Não vou interpretar mais o poema(mal, como na última vez)... :) Mas posso só dizer que para mim não há nada como ter os pés no chão, sobretudo se for terra sangue, vermelha como a de Àfrica e o coração feito azul céu. Em suma, viver na mistura chão-céu.
~CC~

Donagata disse...

Onde se gera a metamorfose, nasce a metáfora, surge a poesia,que arde no fulgor do voo e também nos nossos lábios quando, lentamente,carinhosamente, rolamos estas palavras belíssimas e as soltamos, elas próprias também intangíveis.
Só posso agradecer o prazer que me trazem as suas poesias.

isabel mendes ferreira disse...

e quem dera um chão assim....







Bjo.

Luís Galego disse...

ESTE MEU CÉU



É O MEU CHÃO

aqui neste canto onde se gera poesia de primeira água...

Parece que está para sair uma obra, um filme, sobre a relação de Dali com Lorca, dois génios à sua maneira. Expectante quanto ao filme.

Um abraço

Miosotis disse...

Quando o céu é o teu chão... então vives em sintonia com a tua alma!

Parabéns pela sensibilidade poética!

samuel disse...

O céu e a terra estão dentro de nós, à distância de um olhar, uma palavra, um passo.
Isso é péssimo para as igrejas que assim perdem o negócio das "portagens" da felicidade...

Sérgio Ribeiro disse...

As palavras são o nosso chão, as nossas raizes, o nosso tronco, ramos, folhas, flor, são também o nosso céu.
É preciso sabê-las e saber usá-las.

Um abraço amigo

Anónimo disse...

excelente poesia aqui:)



posso pedir um pequeno favor?

é possivel fazeres um postzinho a divulgar o lançamento do meu livro na fnac do algarve?

thanks!

ta td aqui:

www.tiagonene.pt.vu

usa a imagem e o link da pagina;)

e claro, se quiseres, .. um poema:)

abraço

Teresa Durães disse...

a metaforse é necessária para criar o dia seguinte
boa noite

Mateso disse...

Sempre que o céu e a terra se unem, então a poesia brota. Ei-la viva, bela em metamorfose de palavras.
Muito belo
Beijo.

hora tardia disse...

bom dia Céu!!!!


que assim equilibras o chão!




____________________


bjo.

inominável disse...

não sei se é também meu o céu em que caminhas ou se é com as aves que aprendo a caminhar no chão...

(a sensação de rastejar é sempre a mesma)

Anónimo disse...

Metamorfose sempre com os sinais primeiros presentes. Outono, renovar, respeito. É gratificante ler-lhe os escritos. Obrigada.
Sofia