segunda-feira, 13 de agosto de 2007

O FIO DA MEADA ( 1 )

Nove horas de voo.Cinco horas de diferença horária,mais duas horas
de táxi de Havana para Varadero.
A estrada latina,o táxi latia e eu bufava.Foi assim até Matanzas.

Zita - a motorista do táxi,perita em ultrapassagens pela direita,
ia atropelando um site-car superlotado.
Interrompida a viagem,seguiram-se impropérios gesticulados
que deslisaram para um diálogo fraterno,quando a motorista se identificou.

Apesar de tudo cheguei bem ao Arenas Blancas.

Reconhecido ofereci à senhora uma tee-shirt do Seixal Jaze.
A motorista,comovida não susteve uma finíssima lágrima de rum
e despediu-se com um solene "hasta siempre comandante".

26 comentários:

Entre linhas... disse...

Numa peripécia dessas só mesmo uma motorista com o meu nome lolol

Boas férias
Bjs Zita

Anónimo disse...

:)))))))))))))é para onde parto a 23....:))))

________________


.


piano.

Sérgio Ribeiro disse...

Reconhecida... e reconhecendo-te: "comandante", hem!
Há 25 anos - um quarto de século -fiz essa viagem de guá-guá, transporte público, para lá, de táxi até Matanzas e, depois, de comboio, no regresso a Havana.
O que tu me vieste lembrar, pá!
Um abraço

cb disse...

Continuação de boas ferias!
Hasta Siempre!
CB

Luís Galego disse...

uma finíssima lágrima de rum, palavras de quem sabe lidar com a escrita

Chauffeur Navarrus disse...

Uma colega...

Como te invejo, as histórias que eu não poderia roubar a essa motorista :)

Grande abraço

jnavarro disse...

Um abraço e BOAS FÉRIAS

Letras de Babel disse...

que inveja!

continuação de boas férias :)

[gostei do pormenor de nem aí te afastares da poesia. "uma finíssima lágrima de rum...]

aquilária disse...

"hasta siempre comandante" - sempre relacionei esta frase com o che guevara. mas acompanhada por uma finíssima lágrima de rum, deve ter tido um sabor especial, para quem a soube escutar.

um abraço e votos de excelentes férias.

Licínia Quitério disse...

Óptimas férias nessa TERRA ARÁVEL!

Alexandre disse...

Sejamos «comandante» nem que seja por um momento perante tão simples gente que se enternece com coisas que para nós são normalíssimas!

Um forte abraço!!!!

Maria disse...

Gostei da "finíssima lágrima de rum"...
E eu por aí, há dez anos...
... e a voltar um dia destes, "comandante" compañero.

Ia dizer boas férias. Para quê? Eu sei que são boas...
Um abraço, dois abraços (eu sei porquê)

jrd disse...

Mesmo noutras latitudes há referências que se partilham.
Boas férias

C Valente disse...

mas a viagem compensou.
grande parte de Cuba é bonito
saudações amigas

Maria P. disse...

Hasta siempre comandante!
Pois voltarei.

Um abraço*

isabel disse...

havana. tanta vontade de ir.

obrigada pela visita :)

herético disse...

abraços fraternos aos camaradas de REGLA. inesquecíveis dias "arrancados" ao Futuro!

abraços

Isabel-F. disse...

um local que n�o conhe�o....

adorei a frase

"uma fin�ssima l�grima de rum
..."

deliciosa - parab�ns


bjs e bfds

Terpsichore E. M. disse...

Boa tarde
A sua poesia está publicada? Tem poemas muito bons.
Cumprimentos

Anónimo disse...

h a s t a.....











/piano.

C Valente disse...

Já tinha por ai passado e vou voltar
bom fim de semana
saudações amigas

Maria disse...

És blog 5 estrelas...

Maria disse...

Escola Omar Girón, em Santiago de Cuba
Festa de fim de ano escolar.
O juramento:

"Pioneros por el comunismo - seremos como el Che!"

Por cima da porta, umas palavras:

"Los niños son la esperanza del mundo" - José Marti.

Impossível esquecer......
Impossível distrair-me......

Palavras ao vento disse...

Resolvi regressar...A este Mundo maravilhoso da Blogesfera...Apaziguando os meus sentidos!

E como sempre... Maravilhei-me com a narrativa... Onde a prosa e a poesia se entrela�am!

Continua�o de Boas f�rias.

Abra�o da

Maria Valadas

teresamaremar disse...

Também gostei da "lágrima de rum".

Vi tantas... por um mero lápis (se acompanhado de borracha e afia então...), um frasco de verniz de unhas ou tee-shirt, uns rebuçados e pasta e escova de dentes...

Porém,
em cada rua, os corpos marcando ritmo aos primeiros sons, as casas de um colorido esvaído a puxarem-nos pela imaginação, os automóveis em tempo suspenso,
Havana em suspensão como as horas de espera pacífica nas filas de leite e afins.
Havana, dignissima, caíndo de pé.

Mar Arável disse...

este espaço pretende ser um traço

de breves instantes vividos

e sonhados

um casamento de realidade e ficcção - em comunhão de bens