sábado, 26 de maio de 2018

GESTOS VERTIGINOSOS






Esculpidas numa campânula de sons
as palavras tilintavam
eternas por um instante

interrogavam-se ao espelho
na memória das pedras

Neste jardim emergente
nem todos os jacarandás
rebentaram em Maio
mas as estátuas e os melros
no seu refúgio preferido

como se fossemos nós

entoaram a preto e branco
sinais de ternura
gestos vertiginosos


Eufrázio Filipe

21 comentários:

jrd disse...

Belo poema. A preto e branco os gestos vertiginosos ganham a cor da ternura.

Um abraço fraterno.

AC disse...

Há vestígios que não têm cor, limitam-se a impregnar-nos a alma.
Sempre tão bem, meu caro Eufrázio!

Abraço

deep disse...

Belas as palavras por aqui... como sempre!

Bjs

Agostinho disse...

Não sei da arte poética nem da cumplicidade que o Poeta tem com as palavras. Sei que o leio, uma e outra vez. E não me canso, mesmo quando me sabe a segredo. Da experiência fica o reverberar do som que permanece límpido, em harmonia, que quasi o vejo. Fala o Poeta na memória da pedra, apropriadamente, pois, o rubro ígneo da paixão fica fossilizado para os milénios da vertigem eterna. É e será bonito.

Abraço

Rogerio G. V. Pereira disse...

entoar a preto e branco
sinais de ternura

a foto perfeita
"tirada" por ti, poeta

Marta Vinhais disse...

Momentos de ternura esculpidos no tempo... na alma...
Gostei de ver a estátua de Camilo...
Beijos e abraços
Marta

Daniela disse...

Lindo! Bom dia.
=)

Olhares abandonados. .

Bjinhos óptimo Domingo!

teresa dias disse...

Neste jardim emergente há boa poesia e fotografia.
Gostei muito!
Abraço.

Cidália Ferreira disse...

Muito bom!!

Beijo e bom Domingo.

manuela baptista disse...

pois não, nem todos os jacarandás rebentaram em maio

deixam-se ficar para trás, distraídos com o canto dos melros


um abraço

Janita disse...

Curiosamente a estátua de Camilo e Ana Plácido, tem, quanto a mim, muito mais impacto se vista em fotografia do que "in loco".

Brilhante o poema, como tudo o que aqui leio.

Beijos, Poeta.

Elvira Carvalho disse...

Excelente poema, ilustrado por uma bela fotografia.
Um abraço e uma boa semana

Julia Tigeleiro disse...

Ela sentia e ele sabia que tudo aquilo eram gestos de cumprir destinos...!

Graça Pires disse...

Sinais de ternura. A preto e branco, ou coloridos. São os sinais que nos enviam as tuas palavras, meu Amigo.
Uma boa semana.
Um beijo.

Teresa Durães disse...

Um poema muito terno!

GarçaReal disse...


Belo o poema e bela a foto.

Perfeita conjugação

Boa semana

Bjgrande do Lago

Jaime Portela disse...

As estátuas e os melros nunca nos deixam...
Excelente poema, parabéns.
Bom fim de semana, caro Eufrázio.
Um abraço.

manuela barroso disse...

A vertigem do poema na água pura da imagem.
Beijinho EF.

mariam [Maria Martins] disse...

Tão....Belo! Beijinhos

Ailime disse...

Magnífico poema!
Gestos vertiginosos de quem ama.
Beijinhos e bom fim de semana.
Ailime

Odete Ferreira disse...

Ficam os olhos presos na escultura
Fica o poema esculpido nos olhos
(não sei dizer doutra forma)
Bjo