quarta-feira, 29 de novembro de 2017

TUDO SE MOVE





Com tantos mares desnavegados
começámos a desbravar
caminhos repetidos
quase perfeitos
o fulgor das velas no cais

na verdade
já tínhamos nascido
desnascido quase tudo

quase tudo
porque ainda hoje
nas nossas veias
os rios correm para o mar
a chuva cai dos céus
movimenta-se
a memória das pedras

águas ventos cumplicidades
num abraço de limos

tudo se move
mas "sem a claridade dos pássaros
o poema não voa"


Eufrázio Filipe


18 comentários:

Janita disse...

Tudo se move, tudo se agita, mas para escrever bela poesia há que ter talento e sentimento a pulsar nas veias.
Mais um Poema que faz pensar e onde a metáfora voa; livre!!

Beijos, Poeta.

Rogerio G. V. Pereira disse...

"a memória das pedras"
nela
a erosão não conta

Cidália Ferreira disse...

Gostei muito

Beijos e bom fim de semana

Marta Vinhais disse...

Mas o poema voa.... porque tudo fluí...
Gostei muito...
Beijos e abraços
Marta

Luiza Maciel Nogueira disse...

Belíssimo poema! Me fez viajar aqui. "sem a claridade dos pássaros
o poema não voa"

lindo!

Um abraço

LuísM Castanheira disse...

"... só se lembra dos caminhos velhos, quem tem saudades da terra..."
Abraço

Pata Negra disse...

rio das ruas e levo-as com o rio ao mar, rio de rir, rio do seixal que não é rio nem mar, rio de mim, rio de ti, rio das águas, morro a rir e afogo-me porque não me agarrarei ao pedaço de cortiça que é marcelo.
um abraço a quem ousou tentar arar o estuário, sim, porque o mar não é coisa que se are - ar que me deu, amigo, desculpa lá!

AC disse...

Há algo que teima em não cumprir o seu desígnio, qual destino manipulado na sombra.

Grande abraço

Agostinho disse...

A tua poesia acerta
no tempo e na altura
Povoas-nos o ouvido
de pautas de espanto

Até as nebulosas
pairam paradas nos mares
Esperam "caminhos perfeitos"
por arar?

Abraço.

Tais Luso disse...

Teu poema tem força, tudo anda, tudo muda, nada fica.
Um bom domingo
bj

Arco-Íris de Frida disse...

O poema voa leve como os passaros... acima de nos, so as rimas...

Graça Pires disse...

Os teus poemas têm asas. O verso e o reverso do teu imaginário que nos cativa.
Uma boa semana, meu Amigo. Um beijo.

Teresa Almeida disse...

Nas velas se escrevem poemas de asas brancas.

Beijos.

Teresa Durães disse...

Tudo se move e em cada movimento, um acontecimento.

Anónimo disse...

Obrigada Poeta!

Ailime disse...

Voa sim, numa cadência magnífica.
Belíssimo poema.
Beijinhos,
Ailime

Diana Fonseca disse...

Um poema muito bonito, sobre a vida no fundo.

Beijinhos, A Vida De Diana.

Armando Sena disse...

Tomemos, em palavras, o rumo do mundo.
ab