segunda-feira, 28 de agosto de 2017

A PRIMITIVA CHAMA






Resistimos à perfeição
ancorados de olhos abertos
num beijo completo

inextinguíveis
desbravámos
a primitiva chama

dissolvemos a saliva das palavras

Eufrázio Filipe

15 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Lindo!!

Beijo

Marta Vinhais disse...

E amamos simplesmente....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Graça Pires disse...

A "primitiva chama" que nunca se extingue na voz do Poeta.
Uma boa semana, meu Amigo.
Um beijo.

Arco-Íris de Frida disse...

Nada se extingue, sobrevive... sobrevivemos

Cadinho RoCo disse...

Na saliva das palavras um oceano de significados. www.hellowebradio.com ... você.Vem!
Cadinho RoCo

Elvira Carvalho disse...

A perfeição não existe... e ainda bem. A perfeição seria demasiado chata.
Abraço

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

São os pequenos frascos... Eis um poema sucinto que tem o gigantismo do amor, na sensualidade da mulher e no recato do homem a simbolizar quase um crucificado na alcova, o quadro complementa o imaginário e o real da imaginação concupiscente. Linda postagem! Parabéns! Abraço. Laerte.

Bandys disse...

Simples, bonito e intenso.
Nenhuma perfeição existira
neste mundo.
berijos

Agostinho disse...

Quem tem a percepção do vermelho
atiça o desejo
na boca das palavras

Abraço

jrd disse...

Assim se fundiu o fogo e a espuma.
Belo Poema Meu Irmão.
Abraço

Pedro Luso disse...

O poeta não deixa passar em branco a chama do amor, aproveita o calor e escreve um poema.
Um abraço.
Pedro.

mz disse...

Ai os beijos,
o melhor que o namoro tem.

Maravilhoso.

Ailime disse...

Excelente reacender do amor.
Magnífico poema.
Beijinhos,
Ailime

graça Alves disse...

Também gostei muito!
bj

manuela baptista disse...

até as palavras salivam de inveja desse fogo :)