quinta-feira, 6 de abril de 2017

NOS LÁBIOS DO VENTO






Quando abrimos as janelas
o mar estava de feição
corria-nos as veias
a falar por gestos
convergia
em quase todas as falas
e as flores despontavam
às mãos cheias
nos lábios do vento

Eufrázio Filipe

15 comentários:

redonda disse...

Gostei muito da imagem e do poema.


Gábi

Cidália Ferreira disse...

Que bonito poema!!
Amei

Beijinhos

Laura Ferreira disse...

um murmúrio de vento

Sofia disse...

Poema encantador.

Beijinho.

Agostinho disse...

Flores na carícia do vento
preenchem por completo o
Poema nos lábios do dizer.

Com sempre, excelente.
Abraço.

Ailime disse...

Um conjunto de elementos poéticos muito belo.
Bjs
Ailime

Marta Vinhais disse...

Voamos com o vento.... abraça-nos... dançamos....
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

Teresa Durães disse...

Um amor puro!

Ana Tapadas disse...

Harmonia...poderia ser a palavra. Ela penetra o poema e concilia a imagem!
Beijo

Graça Pires disse...

Uma janela aberta às palavras, às flores, ao vento...
Belíssimo,meu Amigo!
Uma boa semana.
Um beijo.

Amor disse...

Quando abro as janelas sinto o cheiro do pinhal e ouço o som dos pássaros. Mais longe, o mar a bater na areia.
:)
Adorei o poema.
Obrigada pela visita ao meu recanto. :)

Beijnhos

Odete Ferreira disse...

Como velas desfraldadas, a abrir caminhos.
Neles, nos vamos cumprindo.
Ao poeta cabe-lhe atapetá-los.
Com poemas como este!!!
Bjo, Eufrázio :)

jrd disse...

Nos lábios do vento os beijos não têm tempo.

Abraço fraterno Poeta

© Piedade Araújo Sol disse...

é preciso entender os lábios do vento
e as suas mensagens

beijinhos

:)

graça Alves disse...

Gostei, como sempre!
Bj