sábado, 18 de fevereiro de 2017

DESPERTAMOS DE OLHOS FECHADOS





Todos os dias conforme as estações
acordava à hora dos pássaros

escancarava a janela
abria os braços
dava um grito para chamar os cães

descia pedra a pedra
todos os degraus
da minha escarpa
até ao chão das marés

para hastear uma bandeira

enchia um jarro de água
sentava-me à mesa do alpendre
e começava a desenhar
palavras improváveis

Ao fundo
muito para lá da romãzeira
fremiam as águas

não sei porquê
mas fremiam

os cães latiam
e as palavras por uma nesga
espreitavam entre os dedos
como se fosse o fim da história

Neste paraíso
seduzimo-nos pela simplificação dos gestos
e assim eternos
todos os dias despertamos
de olhos fechados

Eufrázio Filipe
(2014 reconstruído)



25 comentários:

deep disse...

Gosto desta narrativa poética ou deste poema narrativo... em sintonia com "A sesta" do Almada.

Bom fim-de-semana. Bj

Rogerio G. V. Pereira disse...

Despertemos

com os olhos que temos

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso poema!

Beijo
Bom fim de semana.

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

anamar disse...

Bem me parecia que já te tinha lido.

Nunca é demais.

Dia bom.

Ana

Marta Vinhais disse...

E devemos apreciar o Mundo....com os olhos bem abertos...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

Agostinho disse...

Fremiam no milagre da vida onde,
um ponto mil contas contidas,
da circular curva o sumarento
vermelho da romã espera
que o poeta se sente e beba,
letra a letra o poema,
a orgia de versos.

Na sexta estive a contemplar mil planos e formas. Esta beleza estava lá.
Abraço.

Laura Ferreira disse...

muito bonito :)

manuela barroso disse...

Poema de uma fantástica visualização !
E desci as escadas à procura de romãs !
Beijo EF!

Arco-Íris de Frida disse...

O importante sao os olhos abertos para dentro de nos mesmos...mesmo que ainda nao tenha vindo o despertar...

Graça Pires disse...

É isto amigo. Parece que estou a seguir um a um os teus passos. Sou capaz de te ver a seduzir as palavras "pela simplificação dos gestos"...
Um belo poema.
Uma boa semana e um beijo.

Elvira Carvalho disse...

Li. Gostei. Tenho dificuldade em comentar poesia. Sempre digo que ela, a poesia, se sente, não se comenta. Por isso muitas vezes leio e não comento. Aliás li este poema ontem ainda não havia nenhum comentário.
Às vezes eu digo que é bonito. Mas parece-me tão pouco para o que sinto...
Oxalá compreenda.
Um abraço

LuísM Castanheira disse...

tão difícil os olhos abertos...
e a simples beleza aqui tão perto.
Bom, muito bom poema.
Um abraço

LUIS MILHANO (Lumife) disse...

E assim se construiu um Poeta...

Abraço

MJ FALCÃO disse...

Um poema muito belo este! Sinceramente, muito belo!

mariam [Maria Martins] disse...

Tão bom! Sempre. Beijinhos :)

Cristina Cebola disse...

Que poema maravilhoso!
Insana esta rotina em que vivemos, numa corrida desenfreada em busca de não sei o quê, se todos os dias acordamos com os pássaros!
Basta-nos apenas abrir os olhos...

Abraço Poeta

© Piedade Araújo Sol disse...


e que seja sempre assim
um belo despertar

beijinhos

:)

Aleatoriamente disse...

Tão suave e leve.
Gostei imenso daqui.

Beijinho

Sofia disse...


Quanto mais fremem as águas, mais lindas as metáforas.

Bjs

Emília Pinto disse...

E neste " paraiso" que por vezes se parece mais um onferno, é bom que nos deixemos " seduzir pela simplificação dos gestos " , pela maravilha que é o despertar de um novo dia; escancarem-se as janelas, abram-se os braços e deixe-se a luz entrar . Não precisamos " hastear uma bandeira " , mas, simplesmente encher os pulmões de ar fresco e dar as boas vindas a um novo dia. Assim fazem os pássaros, os cães e os demais seres viventes, todos os dias, de modo diferente, como diferentes são os momentos, as estações, as emoções. Porquê? Não sabemos, ou melhor...não interessa saber, só que...tem de ser! Despertemos! De olhos abertos, amigo!
Um beijinho
Emilia

Odete Ferreira disse...

Simbólico, o ato de hstear uma bandeira: a presença, a pertença, a identidade. Estar, sentir, independentemente do tempo e do espaço. Belos frémitos, os teus.
BJ 😊

jrd disse...

Quando o poema é um retrato vivo do quotidiano, recriar é melhorar.

Abraço fraterno

Almma disse...

Que lindeza...

graça Alves disse...

Que bonito despertar assim!
Bj

George Sand disse...

A hora dos pássaros confunde-se com a orla da noite e o precipício do madrugar.