domingo, 26 de fevereiro de 2017

À FLOR DA PELE







A preto e branco
há indícios sítios caminhos
sombras de luz
fugazes apeadeiros
que sempre nos surpreendem

traços de ternura
a movimentar as águas
contra o vento
regressam a casa
de mãos dadas
em bando
reconstroem pontes e afectos

mas são os teus olhos
de pássaro espantado
que dedilham
espaços inteiros
até ser dia
à flor da pele


Eufrázio Filipe


20 comentários:

Marta Vinhais disse...

Lê doçura, curiosidade nesse olhar... Pronto para levantar voo e fantasiar sobre o Mundo...
Beijos e abraços
Marta

Anónimo disse...

Foto linda.
Poema que nos conduz às profundezas
do superficial
Que nos conduz a uma viagem
ao campo da existência
dos afectos
da união
da reconstrução
do "cada um"
que respira as suas palavras
Poeta!

princesa

Pedrasnuas disse...

Crianças profundamente estigmatizadas por um mundo cruel!

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso! Adorei

Beijo-Bom Carnaval
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Teresa Almeida disse...

A pele é, toda ela, um arrepio
e o olhar um pântano de perplexidades.
Beijinho.

Agostinho disse...

O poema o poeta
o afecto "das mãos dadas"
O movimento teima
contra a corrente
"a preto e branco".

Abraço.

Graça Pires disse...

Um olhar de ternura. "Olhos de pássaro espantado", como dizes. Quem não lhe darás as mãos?
Uma boa semana, meu Amigo.
Um beijo.

LuísM Castanheira disse...

e nos olhos duma criança
só deveria existir confiança e amor
e não fome e dor.
gostei ("traços de ternura", que passam fronteiras)
um abraço

mariam [Maria Martins] disse...

Muito!
"até ser dia"
beijos

Rita Freitas disse...

A linguagem dos olhos sempre verdadeira.

Beijos

Cadinho RoCo disse...

Inspiração à flor da pela na transparência da poesia. Convidando para conhecer a nossa www.hellowebradio.com ... você.Vem!
Cadinho RoCo

Emília Pinto disse...

E por que não abraçamos, não acolhemos esta criança e outras tantas que só querem respeito pelo direito que têm a uma vida que lhe foi imposta ao nascer? Ninguém pede para vir a este mundo e muito menos escolhe o lugar onde nasce, a cultura que lhe é imposta, a cor da pele, dos olhos ou dos cabelos. Com que direito nos achamos superiores só porque a nossa pele é branca? Pura ignorância, prepotência que faz de nós seres irracionais, desumanos. Muitas crianças são desrespeitadas, muitas nasceram ao som dos canhões e assim continuam e muitas, muitas passam fome, enquanto o dinheiro é gasto em armas, em viagens ao espaco e outras inutilidades. Costumo dizer que, se não somos capazes de cuidar do nosso planeta, para quê preocuparmo-nos com os outros ? Por isso acho essas viagens um desbaratar de recursos que matariam a fome a todas as crianças . E estes olhos, esta criança que aqui nos mostras querem muito pouco, querem apenas afecto e caminham , caminham incansaveis à procura de um olhar que os olhe e os acarinhe, tendo muitas vezes de voltar para trás, espantadas, porque esse pouco esperado, lhes foi negado. Gostei muito, amigo! Obrigada por esta chamada de atenção . Não sei se foi essa a tua intenção, mas, não importa...para mim foi um momento que me levou a pensar na situação das crianças do mundo, situação que piora quando a cor não é a nossa. Beijinhos
Emilia

© Piedade Araújo Sol disse...

há sempre ternuras que nos espantam
e os olhos falam

:)

Majo Dutra disse...

Surpreendi-me neste apeadeiro...
Um dia, há de ser dia
à flor da pele.
Bj

Bandys disse...

Linda foto.
Quem dera que todas as crianças
fossem felizes.
Bj

Elvira Carvalho disse...

A flor da pele, as emoções correm soltas, sem credo nem cor.
Um abraço

Ailime disse...

Magnífico!
Olhos inocentes que anseiam por uma vida melhor.
Beijinhos,
Ailime

graça Alves disse...

Um poema maravilhoso!
Bj

ana disse...

Adorei, este é mais a minha cara.
Bjs. :))

Odete Ferreira disse...

Nada me toca mais do que a dor das crianças.
E os olhos "de pássaro espantado" é a imagem mais atroz que carregamos.
Doloroso, mas belo este canto.
BJ