sábado, 29 de outubro de 2016

HALOS LUMINOSOS



                                                                                             
                         

                                                                   MAGRITE


Incomensurável
num rasgo de lucidez
o mar
já nos havia entrado pelo corpo
num abraço de limos

com bandeira e sangue 
de cores lúcidas
lá estava inteiro
nos halos luminosos
da vasta sede

até arder de novo
a madrugada
passo a passo
nos lábios
da romãzeira

Eufrázio Filipe



20 comentários:

Agostinho disse...

A cor de sangue inunda qualquer mar.
Assim haja arado que o sulque.

Abraço, Poeta.

Olinda Melo disse...


Das romãzeiras e dos seus belos frutos tivemos aqui provas dadas. E o mar nosso querido e benfazejo caminho é deveras incomensurável.

Abraço, Mar Arável.

Olinda

Rogerio G. V. Pereira disse...

que arda
de novo a madrugada

com esplendor

Elvira Carvalho disse...

Estamos no tempo das romãs. O mar, tal como a poesia, tem todo o tempo do mundo. Que pena que só os poetas o vivam em toda a sua plenitude.
Um abraço e bom Domingo

LuísM Castanheira disse...

o fruto proibido...
"até arder de novo a madrugada"
esse mar ao geito de acalmar...
belo!

Emília Pinto disse...

Somos ar, terra, somos mar; somos natureza que nos ofereza tamanha beleza que só com muito amor lhe podemos retribuir o muito que nos dá; amor por ela, por nós e pelos outros; num "rasgo de lucidez" que tanta vez nos falta, observemos o mar e deixemos o amor entrar. Lindo, fomo sempre. Amigo, tudo de bom. Um beijinho
Emilia

Marta Vinhais disse...

O mar tranquiliza-nos.... Abre os caminhos para renascermos novamente...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

jrd disse...

Um abraço de limos que adivinha o fogo vermelho da madrugada.
Grande Poema.
Um abraço meu irmão poeta

Graça Pires disse...

A quietude das ondas na maré-vaza. A sede que só os bagos da romã sacia. A brisa do poente rente aos corpos...
Uma boa semana.
Beijos.

Majo Dutra disse...

Halos luminosos... indispensáveis...
em qualquer tom ou nuance...
Admirável...
Bj ~~~

graça Alves disse...

Palavras com eco que fazem sonhar!
bjs

Bandys disse...

Que deixe arder a madrugada.
Mui lindo;
Beijos

manuela baptista disse...

verde e vermelho romã


um abraço

Branca disse...

Sempre o mar e o amor, na lucidez da tua poesia, plena da força destes elementos naturais.

Sempre um gosto ler-te, na certeza de que a amizade perdura para sempre, mesmo no silêncio.

Branca disse...

Sempre o mar e o amor, dois elementos naturais, na força da tua poesia, ela própria uma força da natureza, a tua.

É sempre um prazer ler-te, na amizade que permanece no tempo, mesmo que seja um tempo de silêncio.

Ailime disse...

Uma madrugada cor de romã!
Magnífico poema.
Beijinhos,
Ailime

luisa disse...

A romã é um fruto que vai bem com o amor.

Laura Ferreira disse...

sede de poeta.

Odete Ferreira disse...

Versos luminosos!
:)

Teresa Almeida disse...

Bastava a romãzeira para a poesia se desbragar em pleno, mas a envolvência já vem de muito longe.