sábado, 10 de setembro de 2016

NO PRINCÍPIO DOS PÁSSAROS


 

                                                    ALBINO MOURA - poeta das formas



Nunca foi importante
salvar o mundo
construir poemas
com palavras ininteligíveis

saber se és vento
barco relâmpago
mulher incerta
metáfora
escarpa
ou flor de estação

importante é quando passas
corpo de seara
sem magoar os cravos

e dulcíssima te desfolhas

Sempre me apaixonei
por esta desordem de cores
quando passas

não pelos teus passos
mas pela sua leveza
como no princípio dos pássaros


Eufrázio Filipe

22 comentários:

ONG ALERTA disse...

Lindo, bjbj Lisette.

Rogerio G. V. Pereira disse...


como no principio dos voos
sobre cravos

vermelhos, vermelhos
e não magoados

Jaime Portela disse...

A leveza ajuda muito nos voos...
Boa semana, abraço.

sofia brait disse...

Lindo!

Graça Pires disse...

"importante é quando passas
corpo de seara
sem magoar os cravos"
Maravilhoso, meu Amigo! Fico sem palavras.
Uma boa semana.
Beijos.

Marta Vinhais disse...

O que importa é viver...Apesar da desordem de cores....
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

Helena disse...

Na desordem das cores... Um sublime poetar!

Zilani Célia disse...

UMA ESCOLHA INCRÍVEL.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Bandys disse...

e por onde houver alma,
deixarei um pedaço de mim.
aqui certamente,
beijo

Agostinho disse...

Que interessa a ordem,
o pássaro ou o ovo...
o que interessa, verdadeiramente, definitivamente,
é como me movo
perante a leveza do poema
O mundo salva-se o mundo perde-se
nas palavras do Poeta.

Sublime, Eufrázio.
Abraço

Majo Dutra disse...

*
B e l í s s í m o !

Um lirismo agradavelmente surpreendente!
«Importante é quando passas» docemente...

Quando aqui passo é-me importante...
Beijo, poeta amigo.
~~~~~~~~~~~

jrd disse...

A tua poesia sabe bem explicar os pássaros.
Um abraço fraterno

A Casa Madeira disse...

Que lindo.
Gostei da imagem.
janicce.

Emília Pinto disse...

Não importa mesmo querermos salvar o mundo, quando não somos capazes de nos salvarmos a nós mesmos. Importa sim, olhar o que está perto, o que está dentro de casa, o que temos dentro de nós. Caminhar com a devida leveza, com simplicidade, observando, cuidando de tudo com carinho Não adianta pressa! Ela só conseguirá assustar os pássaros e calcar os cravos As cores são diferentes a cada dia, misturando-se tantas vezes numa grande confusão de tonalidades, mas o que importa é saber viver cada um desses dias apesar dessa " desordem". Custa, mas há que aprender! Um dia, as cores se tornam mais distintas e a serenidade volta. Beijos e obrigada pela poesia sempre espectacular
Emilia

Ailime disse...

Boa tarde Poeta,
«importante é quando passas
corpo de seara
sem magoar os cravos»!
Os cravos jamais poderão ser magoados.
Tive o privilégio de numa manhã especial reter para sempre o seu perfume.
Beijinhos,
Ailime
(A tela é de uma enorme beleza)

graça Alves disse...

Belíssimo e muito forte!
Bjs

Olinda Melo disse...


Pouco importa o que seja, o nome que se lhe dê, quando se ouve esta doce canção dentro de nós: "A liberdade está a passar por aqui..."

Um dos seus mais lindos poemas, Poeta!

Abraço

Olinda

© Piedade Araújo Sol disse...

pode até não ser importante
mas necessário
a leveza

muito belo

:)

Odete Ferreira disse...

Importante é o voo, mesmo sem asas.
E ficar a pensar no que (não) dizes...
Bjo :)

Sónia M. disse...

Sublime!

Deixo um beijo.

LuísM Castanheira disse...

a indelével harmonia da beleza...
é na paixão que o importante melhora.

Teresa Almeida disse...

Brilhante! Na verdade sempre me apaixonei pela desordem das cores. Bj