sábado, 30 de julho de 2016

O MEU HÁBITO DE OLHAR O CHÃO






Ouvidos colados
neste chão de timbres
oiço o oculto coração das pedras
numa festa de raízes

respiro fundo a intimidade
da terra arada
as sementes
em novas apoteoses
de coisas simples

a sombra que se ateia
para as mãos
não perderem o sentido
nem os meus olhos
o hábito de olhar o chão

Eufrázio Filipe

18 comentários:

Marta Vinhais disse...

Até o chão tem uma história para contar...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

Majo Dutra disse...

~~~
A sublime celebração das coisas simples,
em perspicazes metáforas telúricas...
Belíssimo, Poeta!
Bj ~~~~~~~

Arco-Íris de Frida disse...

É o chao, a terra que nos mantem vivos, é quem nos guia...

Graça Pires disse...

Olhar o chão e perguntar por que é mais "oculto o coração das pedras"...
Maravilhoso!
Uma boa semana, meu amigo.
Beijos.

Teresa Durães disse...

Lindíssimo poema!

Agostinho disse...

Há quem diga que até os pássaros acreditam na salvação que emerge do chão. Por aqui, a sementeira faz-se em todas as estações, sem submissões nem linhas paralelas.

Abraço.

Laura Ferreira disse...

que belo mar

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

Olhar o chão e ouvir 'o oculto coração das pedras'... sentir poético que vai de encontro ao ser.
Lindo!

E que belo este mar, poeta do olhar!

Janita disse...

Gostei que ficasse a olhar o chão...
Deu-me a chance de o olhar sem que me visse...:)
Adorei, isto!

Beijinhos, boas férias.

Tétisq disse...

É do chão que brota a vida.

Ailime disse...

Olhar o chão eleva a alma do Poeta.
Sublime poema!
Beijinhos,
Ailime

Fá menor disse...

Olhando o chão não se perde o pé.

Bjs

jrd disse...

O teu é hábito é o teu mar. Ora chão ora revolto.
Abraço meu irmão poeta.

Armando Sena disse...

Vestidos de mar saudade, olhamos um mar de vastidão.

© Piedade Araújo Sol disse...

o olhar o chão é da cor dos olhos que iluminam até as pedras.
confesso que adorei a simplicidade do poema que nos leva a interpretar de muitas maneiras este trabalho.
mas o Poeta soube lhe dar um suporte fotográfico ainda melhor, o próprio Poeta e o mar em duas fotos excelentes.
parabéns!
beijo
:)

Odete Ferreira disse...

O chão é vida, sentir o seu pulsar é divino|

Almma disse...

Tanta poesia nesse olhar...

Ana Tapadas disse...

Magistral!

Beijo