terça-feira, 19 de abril de 2016

INCÊNDIO DE CRISÁLIDAS





A prumo neste clamor de socalcos
passo a passo
temos todo o tempo
em pleno voo
sem mapas nem destinos
para nos perder e encontrar

Quando te penso Abril
não estou a carpir lágrimas
festejo os olhos dos pássaros
o latido dos mares

solto barcos
sopro faúlhas

vejo-te em flor
num incêndio de crisálidas
asas abertas
a refulgir madrugadas

Eufrázio Filipe
 

28 comentários:

Diana Fonseca disse...

Mas que belo poema!

MJ FALCÃO disse...

Abril merece este poema!

"Quando te penso Abril
...
festejo os olhos dos pássaros
o latido dos mares

solto barcos
sopro faúlhas

vejo-te em flor
asas abertas
a refulgir madrugadas"

É isso mesmo! Sempre!

Janita disse...

Que esse incêndio faça renascer das cinzas rubras, um novo Abril!

Um abraço, Poeta!

Elvira Carvalho disse...

Que esse incêndio nunca se apague, e mantenha vivo Abril, porque ainda tenho viva a memória do antes de Abril.
Abraço

Rogerio G. V. Pereira disse...

Quando te pensamos Abril
não estamos a carpir lágrimas

Teresa Durães disse...

Lindo poema!

Andrea Liette disse...

As flores sempre desabrocham no abril de Portugal. Abraço.

Marta Vinhais disse...

Um grito, um voo aberto nas cores da madrugada....
Que se escute o mar e se sorria com o Vento...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

© Piedade Araújo Sol disse...

a pensar Abril
e a soltar gritos calados na sombra de um poema
muito belo

beijinho

:)

heretico disse...

o poeta a cantar o seu tempo.
que mais belo destino para a Poesia?

e por esses mares navegamos:
soltando barcos e soprando faíscas!

empolgante teu poema, meu caro Poeta

forte abraço

Suzete Brainer disse...

A poesia num voo, num incêndio das metáforas
do (mês) abril do festejo dos olhos!...

Belíssimo, Poeta!
Bj.

Majo disse...

~~~
Muito, muito belo este poema

em homenagem ao Abril dos nossos sonhos.

~~~ Beijo amigo. ~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

jrd disse...

Quando pensas em Abril transformas o mundo e voas.

Um abraço meu irmão poeta

rosa-branca disse...

Que nunca se apague esseincêndio de Abril. O antes nunca. Lindo poema que amei demais. Beijos com carinho

graça Alves disse...

Muito bonito!
Um prazer ler estas palavras :)

Ailime disse...

Boa dia amigo,
Magnifico poema!
Abril, para festejar, sempre.
Beijinhos.
Ailime

Emília Pinto disse...

Abril, águas mil, diz o povo e essas águas que têm sido abundantes não permitirão que o fogo se propague e transforme tudo em cinzas. Desde esse Abril que nos trouxe a dignidade , tememos que os ventos venham de tal modo fortes que o barco da liberdade não se aguente no mar revolto e se afunde , levando com ele todas as conquistas conseguidas. ? Mas... a cada primavera novas flores aparecem nos canteiros e os cravos não deixarão de nos presentear com a sua beleza. Um beijinho e obrigada pela partilha. Um bom fim de semana
Emilia

Maria Rodrigues disse...

Magnifico poema.
Um abraço
Maria

Graça Pires disse...

Pensar Abril. Ter no coração um sonho que nunca acaba. Dizê-lo com estas palavras, Poeta... Tão belo!
Um beijo.

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Filipe.
"festejo o latido dos mares" - latem de felicidade, ainda a dar vivas à promessa que a liberdade trouxe.
Não temos uma sociedade perfeita, não. Não podemos deixar de querer mais e melhor, sempre. Mas, que no meio das lutas (tão difíceis)da actualidade, se saiba dar o devido valor aos que lutaram e morreram, sem viver a sua liberdade, para que Abril ficasse gravado na História do seu povo.
Grande poema.

abç amg

MARILENE disse...

Uma forma bela de cantar com esperança o significado especial que o Abril representa na história de uma nação. Encantam-me seus poemas. Abraço.

luisa disse...

Celebrar abril nas asas de um poema. :)

Majo disse...

~~~
Envio
um beijo amigo num cravo vermelho perfumado.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Jaime Portela disse...

"festejo os olhos dos pássaros
o latido dos mares"
Excelente poema, os meus aplausos.
Boa semana, caro amigo Eufrázio.
Abraço.

anamar disse...

Abril pensado e repensado ao fim do dia que acaba.

Em Lisboa, no desfile, Seixal estava em brasa de bem pensada participação.

Parabéns.

Um beijo e um cravo.

Odete Ferreira disse...

Li em crescendo poético e emotivo. Cada verso é um poema, sendo que o título, retirado da última estrofe - que é brilhante - podia bem ser uma paráfrase para o sonho que continua vivo em quem "pensa Abril", sobretudo no que à LIBERDADE diz respeito.
Agradeço poder ler este poema. É o meu sentir, só que não tenho arte para o exprimir assim.
Bjo, Filipe :)

manuela baptista disse...

quando me penso Abril, ouço os poetas


um abraço

Agostinho disse...

É essa festa de abrir Abril,
tantas vezes pedida,
tantas vezes adiada,
tantas vezes desejada,
o poema explode e
vê-se nos olhos o brilho
do aprumo dos pássaros.

Abraço