segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

A VOZ OCULTA DA LUZ





As pedras marinhas de tão azuis
regressam à tona
juntam-se para respirar
a paciência das aves
cumprem destinos de migalhas
reanimam a voz oculta da luz
que se quer liberta insofrida

a coragem de lutar sobre ruínas

Eufrázio Fikipe

19 comentários:

Lídia Borges disse...


A paciência das aves... Que nos seja ensinamento!

Um beijo

Lídia

Ailime disse...

Magnifico poema!
A paciência das aves e as migalhas a navegarem nas ruínas da coragem.
Adorei o seu poema e peço-lhe desculpa por ter usado algumas das suas palavras poéticas para tecer o meu comentário.
Beijinhos,
Ailime

Marta Vinhais disse...

E que se escute a voz da luz....no voo livre das aves....
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

Helena disse...

"a coragem de lutar sobre ruínas"
Instinto de sobrevivência... Ou a busca do respirar das aves!

manuela baptista disse...

e a luz fala daquele ângulo perfeito azul-ruína


a lutar também

mz disse...

As aves de voo livre são pacientes precisamente pela liberdade que têm e, senão lhes cortarem as asas, não lhe cortaram a voz.

Vieira Calado disse...

Bom, bom mesmo, este pema!

Saudações poéticas!

Maria Eu disse...

Haja coragem para ver, sempre!

Beijos, MA :)

heretico disse...

é necessário decifrar os sinais da "oculta luz"
que mantém à tona a resiliência (e a coragem) das migalhas.

abraço fraterno, Poeta.

excelente

Janita disse...

Ouvir-se-ão melhor os sons da alma se ocultarmos a luz que nos chega replecta de sons vindos de outros destinos?
A coragem de ver, sempre!

Um beijo, Poeta.

Teresa Almeida disse...

O azul a preencher os espaços e a deixar-se atravessar por delírios de luz.
Beijinho, Mar.
Obrigada-

Laura Ferreira disse...

gosto de qualquer tipo de coragem :)

Genny Xavier disse...

Sinestésicos versos que expressam a força da luz ecoando sobre ruínas que se reconstroem...
Belo poema!

Beijo,
Genny


Miss Smile disse...

A paciência é a semente da liberdade. Muito belo :)

Odete Ferreira disse...

Assim é a natureza do homem, sobretudo quando o querem silenciar.
Parabéns pelo teu desafio!
Bjo, Filipe :)

Lucy Mara Mansanaris disse...

O primeiro movimento é o da coragem.
Lindo, parabéns pelo compor!

ana disse...

Gosto deste novo registo.:))

JANE GATTI disse...

Ah, se pudéssemos ser pedra para respirar a paciência das aves... Abraços.

jrd disse...

A voz oculta da luz levanta pedras sobre as ruínas.
Abraço de sempre Poeta