sábado, 16 de janeiro de 2016

UM CORPO DE ASAS







Queria ver uma multidão
uníssona
em cada gesto teu
e vejo


queria que tivesses um oceano
organizado
no azul dos olhos
e vejo


queria que fosses um corpo de asas
mas insistes em chamar às coisas
apenas o nome que elas têm



eufrázio filipe


(publicado no Chão de Claridades)



23 comentários:

Ailime disse...

Muito belo!
Torna-se necessário ampliar os voos.
Bjs
Ailime

Vítor Fernandes disse...

É o azul...

Rogerio G. V. Pereira disse...

Belo

o teu chão

mz disse...

Existe sempre um ponto de divergência.

Marta Vinhais disse...

Nem sempre se consegue voar.... e libertar-se no espaço....
Lindo....
Beijos e abraços
Marta

Lídia Borges disse...


Pois! Daí que nem todos possam ser poetas, Poeta!

Um beijo

Odete Ferreira disse...

E como a esperança nunca morre, também um dia "verás" mais "corpos de asas".
Por isso se insiste: por palavras (como as tuas) que levem a atos.
Um poema brilhante, Filipe.
:)


Graça Pires disse...

Como dizia Miguel Torga: "sem amor nenhuns olhos são videntes"...
Mas tu, Poeta, vês e sentes.
Muito belo, meu amigo.

Laura Ferreira disse...

tão simples e por isso tão bonito...

heretico disse...

do chão também nascem Claridades. e estrelas...
nada que tu não saibas - e que tão bem cantas!

abraço fraterno, Poeta

Armando Sena disse...

Ao som do silêncio me sento, e ouço.
Abraço

addiragram disse...

O hiato entre dois seres.

Suzete Brainer disse...

Este corpo de asas só para os Poetas,
que sabem que os sonhos penetram
no chão com claridades!...
Bjs.

deep disse...

Nós somos uma multidão dissonante, quase sempre. Este poema é uma multidão de sentidos em uníssono. Belo.

Bj

Janita disse...

Um poema que traduz tanta realidade...
Há quem nos consiga fazer ver tudo o que sonhamos, mas recusa-nos a dádiva de viver o sonho!
Tão simples, tão complexo, tão belo e misterioso como o mar...

Beijos.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, se um dia conseguir libertar a alma e voar em liberdade sem rumos como as nuvens, consegue concretizar o seu desejo que também é meu, o poema é lindo.
AG

© Piedade Araújo Sol disse...

o Poeta consegue ver
até coisas que nem existem

muito belo!

:)

Mar Arável disse...

Existe sempre um lugar

Meu caro comentador
faça como os pássaros
liberte-se

Salete disse...

Só os Poetas sabem voar como os pássaros.

Belo!
Bj

Olinda Melo disse...


Gosto de andar por este "Chão de Claridades".
Tem tudo do que precisamos: ideias aladas,
oceanos que se evolam em maresias, no encantamento
do vento e dos pássaros.

Abraço
Olinda

jrd disse...

É possível ver tudo nesse Chão de claridades. Basta voltar...

Abraço fraterno da distância que não é ausência. Meu irmão

Agostinho disse...

Eu vejo
um "corpo de asas"
em cada coisa que é
Haja um sopro de ver
a correr nos cumes
do imaginar.
Eu vejo:
tu, poeta, sempre no cume.

manuela baptista disse...

então ela chama-lhe pássaro