sexta-feira, 30 de outubro de 2015

TRAÇOS A CARVÃO


                                                                                                                 João Cutileiro



Nos mastros mais altos
respiramos sinais
de pássaros públicos
compromissos
com vírgulas nas palavras

caminhos vertebrados
que respaldam
fulgores de timbres

Nos mastros mais altos
exultam eternos
por instantes
traços de carvão
asas enxutas

respiramos
por uma nesga de sol
o fresco ar 
das madrugadas

Eufrázio Filipe

 

19 comentários:

Alexandre de Castro disse...

E a poesia respira sempre pelos poros invisíveis da realidade, voando nas asas enxutas dos pássaros.

Rogerio G. V. Pereira disse...

O teu poema
versos
desfraldados
nos mastros
mais altos

Salete disse...

Aqui respira -se a poesia mais bela.

Beijo.

heretico disse...

que a nesga de sol se faça dia claro.

e a poesia desça à rua...

(uma ilustração que "ilustra" o poema)

abraço, meu caro Poeta.

Miss Smile disse...

Poema e gravura num casamento muito feliz :)

GarçaReal disse...

Como sempre belo e fantásticamente rimado

Boa semana

bjgrande do lago

Diana Fonseca disse...

E que esse fresco ar nunca nos falte.

Arco-Íris de Frida disse...

Entao que os traços de carvao sejam eternos... mas nao por instantes...

São disse...

Que nunca nos falte a nesga de sol...

Fica bem

Maria Luisa Adães disse...

Respiramos, um dia, sem medos nem conflitos

A brisa fresca da madrugada...

com ternura,

Maria Luísa

Suzete Brainer disse...

Nesta nesga de sol
encontra-se um
universo essencial...
Nele o Poeta das metáforas
respira e inspira poesia...
BJs.

Cristina Cebola disse...

Nos mastros mais altos, habitam ecos da sua poesia...

Bem haja Poeta!!!!

Agostinho disse...

Como a elegância dos predigitadores o poeta remexe nas vogais e consoante à procura da esperança.
De carvão na mão será possível traçar nesgas no espaço que aí vem?

Cristina Cebola disse...

Bom dia Poeta!

Voltei para ouvir os poemas falados. Não posso ir embora sem dizer que daqui, deste lugar, a alma sai saciada de poesia...

Teresa Durães disse...

Às vezes essa nesga nem chega...

Maria Eu disse...

Belo poema para um Cutileiro lindo!

Beijinhos, MA. :)

Graça Pires disse...

Respira-se melhor no mastro mais alto. E o rosto sobressalta-se com os pássaros que não voam...
Belo, como sempre. Um beijo.

manuela baptista disse...

pelo timbre, sabemos quem navega nesse mastro


um abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

que essa nesga de sol
rebente o dia
e que o ar fresco
nos nasça no rosto

de todas as madrugadas!

:)